Nostalgia: álbuns que eu ouvia no ensino médio

Ontem me bateu uma bad, então me veio à cabeça uma música chamada “Disconnected”, da Lindsay Lohan, que eu costumava ouvir há uns 11 anos atrás, quando saí do ensino médio, lá em Tocantinópolis (TO), e vim fazer faculdade aqui em Araguaína (TO). O bichinho da nostalgia me picou e eu peguei um montão de CDs [CD mesmo, eu ainda ouço os CDs] que eu costumava ouvir nessa época, no discman que me acompanhou do ensino médio até meados da faculdade e, pasmem, só com isso comecei a me sentir melhor. Às vezes, eu me impressiono com o poder que a música tem de mudar o nosso humor, o nosso estado de espírito, quando a deixamos agir.

Pois bem. Vou lhes mostrar alguns dos meus álbuns preferidos como terapia:

Let Go (2002) / Under My Skin (2004) – Avril Lavigne

Avril

Amo o trabalho da Avril! Acho ela fantástica, mas boa parte do público mais jovem só teve a oportunidade de conhecer a fase mais pop dela, de “Girlfriend (2007)” até então. Só os mais velhinhos, como eu, tiveram a oportunidade de ver a Avril surgir e até ser rotulada como “a nova Alanis Morissette”, lá em meados de 2002, e já levar Grammy’s para casa com seu álbum de estréia. Lembro de ter comentado isso com um amigo e ele riu horrores: “Tô imaginando a Alanis cantando ‘Hello Kitty'”, ele comentou e depois até eu ri junto.

Os álbuns “Let Go” e “Under My Skin” definem bem quem a Avril é e porque hoje ela não é mais comparada a ninguém. Pelo contrário, durante um tempo, a Avril ditou tendência no cenário Pop/Rock: cantoras que surgiam, como Kelly Clarkson e FeFe Dobson, eram orientadas por suas gravadoras a fazer um som mais Avril Lavigne.

Canções como “Losing Grip”, “Take Me Away” e “Together” me desmontam!

Britney (2001) – Britney Spears

BritneyBritneySpearsJPEG600600

Há quem considere “In The Zone” ou “Blackout” como os melhores álbuns da muda princesa do pop. Eu, particularmente, considero “In The Zone” o melhor, mas o que mais me ganha no aspecto nostálgico é “Britney”, o terceiro álbum lançado por ela, no final de 2001 [questão de concurso público: a maioria dos álbuns da Britney, com poucas exceções, foram lançados em Novembro ou Dezembro, acredito que por ser próximo do seu aniversário, 02/12]. Eu era tão louco por uma música desse álbum que, ainda no ensino fundamental, usava um trecho da bridge como epígrafe nos meus trabalhos da escola. Pode isso, produção? Os professores deviam rir horrores nas correções [ou nem ligavam #whatever ].

Fallen (2003) – Evanescence

51+-5sluFIL

Na minha fase gótico suave, não podia faltar rock com uma vibe mais pauleira, né bebê? “Fallen”, o álbum de estréia comercial do Evanescente [comercial porque eles já tinham uma sólida carreira no cenário underground, com vários álbuns e EPs independentes], é como uma Bíblia do rock melódico para mim. Esse álbum é a masterpiece do Evanescence, aquela coisa que dificilmente conseguirão superar! Canções como “Going Under”, “Bring Me To Life” e “My Immortal” dispensam comentários, né?

Lembro muito desse álbum sendo tocado durante o recreio, na rádio da minha escola. Podia faltar o lanche na cantina, mas o Evanescence na programação era indispensável! Haha

Most Wanted (2005) – Hilary Duff

levy3

Sou muito, muito, muito fã da Hilary! Quase não ouço mais esse álbum, mas tenho um carinho especial por ele, pois foi o que me apresentou ao trabalho dela como cantora. Músicas como “Wake Up”, “The Getaway” e “Beat of My Heart” sempre me trazem boas lembranças.

Speak (2004) / A Little More Personal (2005) – Lindsay Lohan

LiLo

Poucos sabem, mas a atriz Lindsay Lohan teve uma breve carreira musical, antes dos seus surtos. Há quem diga que ela só se aventurou na música por pressão de empresários, para competir com a sua rival Hilary Duff. Na época, as duas eram as queridinhas da Disney e, em 2003, Hilary teve seu álbum de estréia entre os mais vendidos nos EUA. Como a LiLo não podia ficar para trás, no ano seguinte, lançou o seu primeiro álbum, mas em sua breve carreira musical não obteve nem de longe o mesmo êxito que a rival, que está até hoje fazendo música.

Hilary e Lindsay foram tipo as Selena Gomez, Demi Lovato ou Miley Cyrus da minha geração, sabe? Fato é que Lindsay realmente não possuía tantas habilidades vocais, algo que ela deixava bem nítido nos pouquíssimos lives que fez na época, mas os seus únicos dois álbuns lançados oficialmente não deixam nada devendo a qualquer cantora pop comercial, pelo menos na qualidade de produção [houve um terceiro álbum, chamado “Spirit In The Dark”, que chegou a ser gravado e envolveu produtores de renome, como o Timbaland, mas não foi lançado oficialmente, apenas teve algumas músicas vazadas algum tempo depois e um único single oficial, chamado “Bossa”… Aí a LiLo surtou, começou a usar drogas, beber, fazer plásticas, ficar doidona, o álbum foi cancelado, a gravadora demitiu e ela acabou com a carreira, tanto no cinema quanto na música].

Detalhe: nenhum dos álbuns da LiLo foram lançados no Brasil, mas eu gosto tanto deles que fiz minhas economias e comprei pelo eBay.

PS – Me contem o que vocês ouviam [ou ouvem] nos comentários. 😊

30 Comentários

30 Comentários em "Nostalgia: álbuns que eu ouvia no ensino médio"

  1. Ricardo diz:

    Também faço isto de ouvir cd’s antigos com alguma regularidade haha. Para mim ainda não houve um álbum da Britney que conseguisse superar o “Blackout”. Tendo em conta a fase tão má em que ela estava, é incrível o facto de cada música ter potencial para single. Os Evanescence e a Avril eram fantásticos e fiquei surpreso pela Lindsay ser mencionada. Era viciado na “Rumors”, “Over” e “Confessions of a Broken Heart” 🙂

    Ricardo, http://theghostlywalker.blogspot.pt/

    • Amo os álbuns da LiLo, Ricardo!
      Apesar de ela não cantar nada ao-vivo, os álbuns foram muito bem produzidos e ela fez tudo direitinho nos vocais.
      “A Little More Personal” é carregado de emoção e tem letras muito próximos dos dilemas que ela viveu. ❤️

  2. Oi, Cássio!
    Que bacana esse post!
    Não escutei álbuns inteiros, mas lembro de músicas específicas dessa época. Adore relembrar alguns hits dessa época!

    Beijos!

    http://www.utilidadebobagem.com/

  3. Pandora diz:

    Faz anos que não escuto falar de Avril! Nossa, só a mensão me deixa nostalgica. Realmente a música é um instrumento poderoso, os sons podem nos devolver a infancia, a adolescencia, a paz… Até coloque Amy Winehouse cantando Valerie porque esse post me fez ter vontade de ouvir pelo sentimento que você me evocou a lembrar suas cantoras marcantes!

    Minha irmã ouvir muito Evanescence! My Immortal para mim tem cheiro, cor e forma de fim de infancia, adolescencia e inicio de vida adulta com suas desilusões!

    Pandora
    O que tem na nossa estante

  4. Lu Cruz diz:

    Que nostalgia deliciosa! Lembro de tudo isso, mas não ouvia muito coisas mais pops. Eu era mais do lado heavy metal no ensino médio hahaha O álbum que eu mais ouvia era o Toxicity, do System of a Down. Aprendi a amar essas divas pops bem mais tarde, mas ainda amo muito tudo que ouvia naquela época! Beijos!
    Blog Vintee5 | Canal Vintee5

  5. hahah, é praticamente igual a minha play da adolescência! Adorei, é sempre bom relembrar né!

    http://www.leitorasvorazes.com.br/

  6. Karlyson diz:

    Socorroooo, eu ouvia todos esses kkkk. Que saudades.

    http://www.3dimensoes.com

  7. Oi!

    Eu escutava Hilary e Avril bem esporádico. Mas os álbuns da minha adolescência – e escuto até hoje – foram dos Jonas Brothers e RBD hahahhaha
    Beijos!

    Balaio de Babados

    • Eu também já tive a minha fase RBD, Luiza!
      Adoro os álbuns “Rebelde” e “Nuestro Amor”. Foi basicamente essa fase que eu acompanhei da carreira deles.
      Adoro os primeiros DVDs que eles lançaram. Ainda os tenho, inclusive.
      Abraço!

  8. AAAAAAAAAAAAAAAAAI QUE NOSTALGIA <3 Amava Avril, lembro que tive uma fase de usar só All Star e lápis preto nos olhos HAHAHAHAHAH não parava de ouvi-la! Não fazia ideia que a LiLo tinha feito uma mini carreira como cantora, achei legal! E ela e a Hillary eram mesmo as nossas Selena e Miley da nossa geração! Adoreeeei! Lembro que ficava a tarde toda vendo clipes no Mix Tv, já viu? Eu ficava das 3 da tarde até as 9 da noite vendo os clipes AMAVAAAA!
    http://www.amandapaduan.com.br

  9. Oi, Cássio.
    Nossa ouvia muito de tudo, mas Avril era minha paixão, até me vestia com os looks parecidos ao dela rs.
    Beijo

    Te Conto Poesia ♥

  10. Eu era/sou apaixonada pela Avril! Era uma das minhas preferidas da adolescência <3 Evanescence curtia também, agora das meninas do pop comecei a ouvir mais velha.. na época mais teen meu negocio era mais mais rock (inclusive bandas levemente emos gringas hahahaha)

    beeeijo :**

  11. Bianca diz:

    Nossa, seu post me lembrou muito do final da minha adolescência, nessa época eu assistia MTV o dia todo hehe. Gostava de todos os artistas que você listou, na verdade, ainda escuto muitas dessas músicas até hoje.
    Beijos

  12. Oi
    adorei o post,. Hilary diva linda que adoro e escuto até hoje, esses dias deu nostalgia e eu fui escutar as músicas da Lindsay queria tanto que ela lança-se alguma música. Avril Lavigne, Evanescence e Britney Spears fui influenciada a escutar por conhecidos,

    momentocrivelli.blogspot.com.br

  13. GEEEEEEEEEEEEEEEEEENTE, PARA TUDO!
    Bateu uma nostalgia gigante aqui, praticamente com quase todos albuns citados!

    Memórias de uma Guerreira

  14. Hellz diz:

    porran, eu tive todas essas fases musicais ai. Esse post não é nostalgia pra tu, mas pra mim também *=* Incluiria ainda My Chemical Romance que eu era LOKAAAAAAAAAAAA HAHAHAHA
    gente… que saudade dessa avril aí que usava all star, coturno e nao tinha nada rosa nos esquema. Muita muita saudade
    e meu sonho é a Lilo voltar como cantora, falei 🙁

    beijo
    beinghellz.com

    • Atire a primeira pedra quem nunca curtiu aquela bad ao som de “Helena”. Amo forte! ❤️
      Sobre a LiLo, queria muito que pelo menos o terceiro álbum dela, o “Spirit In The Dark”, tivesse sido lançado, pois vazaram muita demos e, pela qualidade e pelos produtores envolvidos, teria sido o melhor álbum da carreira dela, mas…

  15. Váh diz:

    Eu também ainda ouço os CDs, aliás faço coleção deles <3
    Avriiiil vida <3 Eu peguei meio que o final dessa época dela, mas gosto de todas as fases, ela foi e é uma grande influência pra mim!
    Britney é divaaaa, quando eu quera pequena queria ser ela quando eu crescesse haha!
    Evanescence é puro amor, gosto muito <3
    Hilary também é diva, acompanho ela até hoje!!
    Só a Lindsay Lohan que nunca acompanhei os trabalho musicais dela, mas os filmes fizeram muita parte do meu ensino médio hehe 🙂
    Amei o post!

    http://heyimwiththeband.blogspot.com.br/

  16. Chell diz:

    Esse do Evanescence! =O O meu não tem riscos e furo sei lá como hahahaha até hoje cantarolo fácil!
    Acho que faltaram aquelas coletâneas da Malhação hahaha

  17. Gente! Alguém que ouvia Li-Lo!
    Ela produzia umas músicas legais até! Lembro até de um reality que mostrava a vida da irmã dela!
    🙂

  18. Juliana diz:

    Esses dias fiz a mesma coisa…não estava muito bem, aí pra tentar me animar ouvi músicas da minha adolescência e deu super certo 🙂
    Desse post eu só não escutei Hilary Duff e Lindsay Lohan.
    E sim, essas músicas de Evanescence que você citou são incríveis mesmo <3

    Beijos!

  19. Lívia diz:

    Segunda-feira ouvi Avril Lavigne descontroladamente. Eita, saudade! Minhas músicas preferidas são My Happy Ending e Losing Grip.
    E Evanescence é muito meus 15 anos. Muito depressão. Muito fossa. Muito levei-fora-do-carinha-vou-ali-me-matar-ouvindo-My-Immortal.
    Não ouvia muito Birtney, nem Lindsay Lohan ou Hillary Duff.
    Não vou dar minhas respostas aqui porque vejo um super potencial pra um futuro post no beLivs, viu?
    Beijo!