Da série “Micos & Micos”: O dia em que eu dancei numa festa

Que eu adoro farra, isso não é novidade pra ninguém! O que poucos sabem é que também gosto de dançar, performar, criar coreografias, etc. Porém, só faço essas presepadas (sozinho) em casa ou diante de amigos beeeeem íntimos.  Junta aí: signo virgem + timidez em excesso = barata tonta no meio de uma festa. 😂

Mas eu mudei…

Eis que no último fim de semana fui à “Festa da Diversidade”, na Universidade Federal do Tocantins (UFT) daqui de Araguaína. O evento tinha o intuito de reunir as gays pra baterem cabelo, rebolarem a raba e demonstrarem o quão felizes são, mesmo tendo que enfrentar preconceito/discriminação diariamente. 😍

A festa começou às 22h30, mas só cheguei depois da meia-noite, pois na minha mente eu era a celebridade… e celebridades fazem o quê? Isso mesmo: chegam tarde, porque pras elas o evento nem é tão importante assim. (Pra mim era, pois há séculos não ia à uma festchênha!).

Assim que saí do estacionamento da UFT, percebi que o salão estava lotado. Ótimo. Queria me divertir, logo, nada mais justo do que uma festa com muitas carinhas novas. Quando cheguei na pista de dança, vi um ex-crush. Comecei até a duvidar dessa ideia de conhecer novas pessoas…

Em resumo: em julho/agosto estava conhecendo um boy. Ele sumiu. Vida que segue. Só que ele também estava nessa festa da UFT, então a vida seguiu pra um rumo bem inesperado. Mas, ok. Autoconfiança é algo que tô aprendendo a lidar e me virei bem na balada, inclusive lembrei que o ex-crush adora dançar.

QUEM COMEÇOU A PERFOMAR NO MEIO DA FESTA? QUEM COMEÇOU A CANTAR, REBOLAR, DANÇAR FUNK E TALS? QUEM FEZ GERAL OLHAR, COPIAR PASSOS E ADMIRAR? Pois é, esse cara sou eu.

Eu estava com tanto ódio do ex-crush que resolvi me livrar desse sentimento dançando. Dancei mesmo. Rebolei, empinei o popô, desci até o chão, ralei bunda com quem nem conhecia, fiz selfies com desconhecidos… FOI MARA!O crush me olhava com um olhar de “Nossa, cê tá aqui e se divertindo. Legal! Não vai vir falar comigo?”. Claro que não fui falar com o cara, apesar de trocarmos alguns olhares. Eu tava ali so pra dançar, sabe? Mesmo não sabendo, descobri que eu nasci pra dançar em balada. 😍

Ah!, teve gente que chegou se encostando, pedindo pra ficar comigo e eu… ignorava, claro. Não queria fastfoda, queria somente dançar. 😉

Se você um dia tiver coragem, dance na balada. A sensação de liberdade é ótima. Sério. Eu adorei tanto a experiência que mal posso esperar pela festinha do próximo fds, porque, sim, eu irei. 😉 
27 Comentários

27 Comentários em "Da série “Micos & Micos”: O dia em que eu dancei numa festa"

  1. Deu vontade de estar na balada com você. Eu sou a que fica no meio da pista rebolando a raba também. Faz um bom tempo que não vou a uma baladenha (vida de casada) vou ver se o mô anima.
    Você fez bem <3 Beijos.

  2. Que coisa maravilhosaaaaaaaaaa! PISA MENOS <3
    Eu não sou nada tímida (risos), porém sou péssima dançando, confesso, mas mesmo assim rebolo a raba no chão MEXMO, porque todax merecem, né nom?
    Adorei migo, super arrasouuuu, deixou o crush babando, se divertiu, pediram pra ficar com você… A noite foi sua!
    Beijooooos♥

    http://www.ricknegreiros.com.br

  3. Camila Tuan diz:

    Amei a descrição da sua experiência.
    Tu acredita que eu fiquei lendo imaginando você contando (igual no stories), e o post ficou ainda melhor.
    Que bom que tu se divertiu e aproveitou muito, espero que tenha muitas e muitas baladas pra tu rebolar a raba.
    E olha só sambou na cara do ex-crush uahauahauahua, está de parabéns!

    Beijos

  4. Dia Mattos diz:

    Se joga na pixxxxta!!! Isso me lembrou das noites que eu não tinha companhia, e ia sozinha pra balada mesmo, pq não era obrigada!! Como moro em cidade pequena, sempre encontramos alguém em qualquer canto que a gente vá. Então eu chegava já pra pista e dançava como se não houvesse amanha, até cansar e ir andar pra ver se achava alguém..rs.. Muito bom!

  5. Tatiane Aponte diz:

    Ahahahaahhah eu morri de rir com seu post! Eu já dancei MTO na balada, já subi em palco, já causei horrores e vou te falar, a vida é pra ser vivida! Amei, já quero sair de balada com vc!

  6. Gabiss diz:

    Amei fortemente seu post ta uma graça e ao mesmo tempo super Ilário me fez ate lembrar da época da raves vários dias na rua e dançando parecendo um animal porque eu não sabia dança mas achava que tava bafando kkkk não que eu tenha aprendido a dançar ainda sou uma negação, mas nada se compara a esses micos , piores micos melhores lembranças ! Esse é o meu lema

  7. Letícia Pimenta diz:

    Isso mesmo, esquece o crush boco e cai na dança, te entendo sou timida também. Ri muito com seu post e fique imagianando se a balada foi ótima igual você falou, aproveita e se joga tem coisa mais gostosa que dança ate não da mais conta.

  8. Eu já não sou a maior fã de festas no universo, não, mas adooooro dançar! Inclusive preciso voltar pra dança de salão assim que for po$$ível.
    Achei demais a UFT fazer algo assim! (ou ao menos apoiar… ou foi da Universidade mesmo a ideia, cê sabe?)
    A dança tem esse poder pra mim. Aliás, a música faz isso por mim. Esqueço de tudo e só quero cantar/fritar/rebolar.
    Um beijo, Adriel!

  9. Erica Reis · diz:

    Imagino que seja libertador mesmo, confesso que eu morro de vergonha, sou a contida em pessoa rsrs Acho que até por isso acabo passando longe de baladas, mas vc arrasou demais dando aquele gelo no seu ex, sumiu…sumiu! Perdeu! 🙂

  10. Aninha diz:

    Ai, dançar é tão bom, né? A gente afugenta os males com uma festa boa dessa! Achei ótimo a UFT fazer uma festa assim. Queria que a UFG fizesse isso. Se fez não fiquei sabendo, hahaha.

  11. Nunca nem fui numa balada kkkk quero mas não quero sabe haha Fui uma vez num festival, a uns 4 anos, pensando que ia ficar sentada e ouvindo uma música legal. Pois eis que entra um DJ e começa a tocar todas as músicas que eu amo. Eu dancei TANTOOOO que até hoje eu rio quando lembro. Nunca pensei que sendo tímida eu ia me soltar daquele jeito. Dancei até as coreos da diva Bey, que até então dançava só em casa. Foi muito muito muito bom me libertar assim, então sei qual foi tua sensação ❤

  12. Haha, você me lembrou daquela música “abra suas asas, solte suas feras. Caia na gandaia e entre nessa festa”.
    Não vou em baladas, não gosto do ambiente pequeno cheio de gente. Mas amei seu relato, você fez uma coisa tão simples que (acredito eu) mudou sua vida. E o que eu achei mais legal, foi o fato de você não ligar pra “quantas bocas beijei hoje”, você foi pra se divertir e fez isso!
    Adorei demais seu texto, beijos ❤️❤️❤️

  13. Taciane diz:

    Eiii migo, que saudade de comentar no seu blog, ando meio sem tempo nesses últimos meses e nem estava postando no meu blog. Adorei a dica ai, eu bem que sou assim bem timida, mas algo semelhante aconteceu comigo essa semana, mas precisamente na sexta-feira com encerramento do semestre, rolou aquela festinha no campus e tinha Karaokê, no primeiro momento eu estava morrendo de vergonha, mas por dentro doida pra me acabar de cantar, minhas amigas me convenceram e eu acabei cantando em grupo e depois em dupla. Até pensei “nossa que mico que to pagando jesus”, mas sabe a gente se preocupa muito com o que as pessoas vão falar ou pensar e acaba deixando de viver nossas vidas, se for pensar bem, todos pagam um certo “mico” nas festinhas ou karaokê da vida, mas elas estão ali, vivendo, aprendendo e curtindo a vida. Quem me dera sempre fosse assim na minha vida. Assim como você espero ter essa experiência de novo.
    Bjs

  14. Adorei, Adriel!!!
    Uma das coisas que mais gosto em você e seus posts é que você tá sempre mostrando um lado seu que muitas pessoas tentariam esconder, justamente por não se sentirem confortáveis. Mas mesmo você não estando acostumado a uma situação, como dançar, você tenta e mostra pras pessoas que tudo bem fazer aquilo que te faz feliz. Isso é inspirador! <3

    Virando Amor