Gosto de lembrar dele.

Até hoje eu não sei o que me encantou nele. Quando o conheci, era apenas um garoto magrelo, típico adolescente good vibes. A gente ficou por um bom tempo conversando, se conhecendo e tentando criar uma amizade. Porém, algo foi mais forte dentro de mim. Infelizmente, não conseguia vê-lo apenas como amigo.

Diariamente eu me torturava. Uma parte não queria tê-lo só como amigo; o outro lado insistia que só a amizade bastava. Entrei em choque de personalidade. Já não me conhecia e queria saber todos os passos dele. Perdi a conta de quantas vezes passei em frente à sua casa, na intenção de vê-lo de longe.

Quando eu já não mais conseguia lidar com o sentimento, fui sincero e contei o que se passava comigo. Ele levou tudo na brincadeira, dizendo que a nossa “amizade vida loka” era boa e deveríamos continuar daquela forma. Hoje eu penso que, na verdade, ele nunca se importou comigo. Na festa em que “cobrei” um beijo, ele aproveitou a oportunidade pra deixar claro que não me curtia. E fui tão tolo.

Após o seu aniversário de dezoito anos, ele mudou completamente. Enquanto eu continuava me comportando como um adolescente-bobão, ele cresceu. Fisicamente e mentalmente, à propósito. Me perdi a partir dali, pois nos distanciamos na tentativa de eu melhorar. Mas nada mudou.

Veio a ligação da Gabi avisando que ele iria embora. Lembro perfeitamente  daquela tarde… Eu estava ocupando a minha mente em dois empregos, pois queria controlar os sentimentos.  Aquela chamada no celular foi meio que um soco na minha cara. A despedida foi 5 dias antes do meu aniversário de 20 anos.

Quatro anos se passaram desde o nosso último abraço. No passado doía muito pensar na nossa “história”, mas hoje… Hoje eu vejo o quanto cresci e mudei algumas coisinhas. Queria muito que ele retomasse o contato comigo (nem que fosse online) e tentássemos um relacionamento. Se não desse certo, pelo menos eu fui “fiel” durante 04 anos. À espera dele.

Em mais de quatro anos de amor (platônico, talvez), o meu sentimento nunca mudou. Sempre fiquei por aqui recusando pessoas e sem me interessar por outras de verdade. Ainda gosto de lembrar dele e do quão importante foi esse “romance” na minha vida.

Novamente repito: te amo pra caralho. 💗

Comente Comentários

Nenhum comentário em "Gosto de lembrar dele."