Encontros por acaso

Sou o tipo de pessoa que, antes de sair de casa, tem de fazer uma novena, pedir proteção aos santos, rezar um pai nosso, colocar um terço no pescoço e se benzer: tudo isso porque os piores encontros por acaso (ou melhores, vai!) sempre acontecem comigo. E não estou exagerando. 🙁

Já relatei várias vezes a história de um carinha que eu encontrei no supermercado e nem lembrava que tínhamos ficado, certo? Se você não sabia, agora está ciente do quão constrangedor foi a situação. Mas daí a gente só ergue a cabeça dando aquele sorriso amarelo, sem graça.

E quando topamos com uma pessoa que acabamos de falar mal na rodinha de fofoca entre os amigos? Eu sempre, eu toda hora, eu todo dia na faculdade. Juro que tento me precaver nesse tipo de situação, mas a vida de vez em quando gosta de aprontar com a minha cara…

Encontrar ex-namorado é horrível também. A gente nunca sabe como reagir, o que falar… daí acabamos fazendo merda. Eu sou aquele tipo de pessoa que não fala nada, pelo simples fato de que: não tenho o que falar e nem curiosidade sobre o que a pessoa anda fazendo. #rude&agressiva 🙄

Mas sabe o que é o pior de tudo? É uma pessoa fingir que não te conhece, mesmo depois de você ter dito o nome dela, CPF, RG, endereço completo e por aí vai.

Aliás, na minha época do colegial rolava uma disputa oculta entre os amigos: a gente adorava passar pelas pessoas e cumprimenta-las, mesmo só sabendo o primeiro nome. A sensação de “popularidade” era boa, sabe?! Foda era o povo virar a cara pro outro lado e nos ignorar. 😥

Enfim… encontros por acaso são bons, mas, no geral, são sempre bem constrangedores. Só não são ruins aqueles em que os migos topam com a gente pela rua e nos chamam pra beber mais tarde. #alcoólatra 

36 Comentários

36 Comentários em "Encontros por acaso"

  1. Lívia diz:

    Engraçado que meu primeiro namorado mora no mesmo bairro que eu e nunca mais o encontrei depois do término… melhor assim, porque não saberia como ser educada, não heh
    E eu nunca fui a popular, abafa =P
    Beijo, Adriel!

  2. carol sena diz:

    kkkk você sempre me fazendo rir, esses encontros com ex são os piores, e sempre acontecem quando você ta despreparada (cabelo bagunçado , pior roupas e tal)

    http://entrevereviver.blogspot.com.br/

  3. hellz diz:

    Como tava falando a uma miga da blogosfera: Acho que sou meio sortuda porque moro numa cidade de 80 mil habitantes e nunca encontrei o boy que eu namorava na época que era hétero desde que terminou HAHAH mas que vivo encontrando gente que odeio: Isso sempre! u.u

    beijo
    beinghellz.com

  4. Váh diz:

    Esses encontros são tensos hahahah, várias vezes eu já fingi que não vi a pessoa só pra não ter que dar oi e tentar evitar esses encontros por acaso 😡

    Estava com saudades de visitar seu bloooog <3

    https://heyimwiththeband.blogspot.com.br/

  5. Tenho a sorte de não ter esses encontros. Eles realmente são muito constrangedores. Nunca sei o que falar.
    Ri demais com seu texto. rs

    http://www.desbravadordemundos.com.br

  6. Ai, Adri, acho que tudo isso é bem relativo. Depende muito de como está a nossa relação CONOSCO, não é mesmo? Se estou ótima com o meu astral, com a minha confiança e afins, adoro me esbarrar com ex ou com quem for, ainda que seja para não dizer nada. Mas temos aquelas dias em que a energia não está tão bacana, estamos cansados, estressados, nos sentindo carregados de diversos fatores… e aí, realmente, esses encontros por acaso acabam só estressando mais, na maioria dos casos. Mas busco captar os sentidos de tudo, refletir sobre o que senti ao ver aquela pessoa, sobre o que ela pareceu ter sentido, sobre o que posso tirar daquilo, sobre algo do passado que veio em mente e eu sequer lembrava. São formar para que possamos ter mais releituras internas e reflexões variadas, não é? Às vezes, mesmo não sendo bom no momento, é depois. Depende muito mais de nós do que do outro quem.

    http://www.semquases.com

    • sim, sim, Van! tem coisas que, em determinado momento, podem não ser legais, mas com o passar do tempo fazem total sentido. naquelas horas eu fico bem puto com universo, mas depois de captar o sentido da coisa, logo o estresse passa. 🙂

  7. Wanessa diz:

    Esses encontros sempre acontecem e são bem chatos mesmo.. Este ano tava numa festa e um carinha q eu tinha ficado me viu lá, eu passei do lado dele e não o vi e depois disso ele me mandou msg dizendo q eu tava com vergonha de falar com ele pq estava com algumas amigas junto. A verdade é q eu não tinha visto, tinha tanta gente na festa q eu só queria ir embora dali kkkkkkkkkk olha o close errado 😛
    bjoka http://diadebrilho.com

  8. Nossa, me identifiquei muito! Eu sou mico na certa, sempre apronto umas que fico abismada..

    http://www.kailagarcia.com

  9. Fernanda diz:

    Eu odeio esses encontros! HAHA Eu nunca sei o que falar. Pior quando EU esqueço o nome da pessoa. Aí é vergonha na certa. Acho que essas coisas acontecem com todo mundo. Infelizmente. HAHA
    Beijos!

  10. Oi Adriel!
    Aii nem me falei, eu sou meeeestra em pagar micos, encontrar pessoas que eu não quero (tipo o ex, e aí faço a #rude&agressiva mesmo), a última foi de morrer! Fui receber uma encomenda no portão de casa, descabelada, de pijamas, cara até inchada de sono, e o entregador era LINDO, MARAVILHOSO, GOSTOSO de óculos escuros ainda! O lindo me disse “Desculpa te acordar”, e eu não consegui nem responder de tanta vergonha hahahahaha
    É a vida né?

    Beijos,
    Ana | Blog Entre Páginas
    http://www.entrepaginas.com.br

  11. Nana diz:

    Oi Adriel,
    Você é uma comédia, me divirto com seus textos.
    Já disse que você deveria escrever um livro de crônicas haha

    Eu só encontro gente, quando estou nos piores dias. O que ocasiona, os ‘ois’ amarelos HAHAHA
    E tem parente que eu finjo que não vejo e atravesso a rua…tipo as primas falsianes hahahaha

    tenha uma ótima quinta =D
    Nana – Obsession Valley

  12. Beca diz:

    Aqui em BH temos um ditado: BH é um ovo. Isso porque mesmo sendo uma cidade bem grande TODO MUNDO SE CONHECE. É o tipo e cidade que cresceu mas manteve características de interior, sabe? E claro, isso dá MUITA TRETA porque você sempre encontra alguém que não queria na rua, as pessoas todas sabem seu nome (mesmo que você não saiba quem são elas) e sempre tem alguém pra testemunhar você fazendo algo que não devia pra depois isso cair na boca do povo.
    Não da pra andar fora da linha aqui! KKKK Se fizer isso seu nome irá para o lixo hahahaha

    Sempre que encontro ex eu finjo que não vi (fico com aquela cara de paisagem olhando através ou para o outro lado como se estivesse MUITO interessada na estante de detergente do supermercado) porque simplesmente quero que o indivíduo morra e não tenho nenhum interesse em dar a ele chance de reatar qualquer papo no whatsaap /antisocial

  13. Oi, Adriel!
    Menino, eu não vou mentir que tem vezes que finjo que não olho algumas pessoas. Mas isso acontece pelo simples fato delas me ignorarem também. Eu não sou obrigada.
    Beijos
    Balaio de Babados

  14. camila diz:

    Eu tenho a sorte de não trompar com pessoas indesejáveis mesmo em uma city bem pequena onde moro rsrs
    Que coisa né?
    É bom se benzer mesmo kkk

    http://www.chaeamor.com

  15. Fernanda N diz:

    oieee moçooooo! 😀
    ao contrário de você, nada emocionante acontece na minha vida… estou querendo esbarrar com o meu príncipe encantado (ou sapo mesmo), mas não tem jeito. confesso que fico mais tempo dentro de casa do que zanzando pelas ruas, mas não costumo ter encontros por acaso assim, como você citou. inclusive, compartilho do mesmo aspecto com a lívia… meu último namorado, de 2010, morava na mesma rua que eu e eu só o vi duas vezes depois do término do namoro… mas tenho certeza que isso é pura sorte, porque o cara era um traste! enfim! sorte aí nos seus encontros por acaso… eu continuarei aqui, sem fortes emoções! hahaha!
    beijoooo

  16. Poly diz:

    TODAS as improvisações que fiz este ano no teatro foram sobre encontros desagradáveis. Acho que treinei tanto nas aulas que já sei o que fazer (e o que não fazer) quando isso acontecer.
    Mas só tenho fortes emoções assim só no teatro, no dia a dia eu continuo com manias de míope e não vejo ninguém.
    Boa sorte para vc
    Bjuxxxxxx

  17. Nossa, eu tenho isso com semi conhecidos, sempre encontro e fico em desespero, se eu desse um simples “oi”, poderia ser fácil, mas sempre que tento fazer isso (10% dos casos), eles me ignoram e passo aquela vergonha. Os outro 90% são aquele tradicional mudando a rota, olhando pro celular ou fazendo cara de paisagem. E assim vou cruzando com milhares de semi conhecidos todos os dias kkkk Amo seus textos, sempre me fazem pensar sobre situações cotidianas inusitadas.


    Beijos
    Brilho de Aluguel

  18. Luly diz:

    De forma geral eu odeio encontrar com as pessoa por acaso. Tem aquelas raras exceções, mas geralmente quando tem algum conhecido andando em minha direção na calçada e eu vi, nossa, eu rezo uns 10 Pai Nossos em velocidade 5 pra pessoa não me ver, ou atravessar a rua, ou entrar numa loja, etc. Minha sorte é que eu sou cega e da maioria das vezes nem vejo a pessoa, hahaha!

    Porque a gente nunca sabe se dá oi, se abraça, se sequer cumprimenta… Ainda mais quando é pessoa desagradável ou que lembra algo desagradável…………………..

    Te indiquei pruma tag:
    http://sweetluly.expressorosa.com/the-versatile-blogger-award/