Entrevista: conheça o escritor francês Sacha Sperling

No ano de 2009, Sacha Sperling publicou em Paris o livro “Mes illusions donnent sur
la cour: roman
”, (“Ilusões Pesadas”, editora Companhia das letras) que só
chegou aqui no Brasil em 2011. Sim, a obra é sucesso em vários cantos do mundo!
Aos 14 anos, o narrador de “Ilusões pesadas” vaga sem objetivo pelas ruas
de Paris, quase não aparece na escola, faz viagens exóticas e tediosas pagas
pelos pais e troca a noite pelo dia em festas requintadas ou em qualquer outra
distração. Isso inclui o consumo de álcool, tabaco, maconha, cocaína e
calmantes. Sexo e paixão, vividos pelo adolescente ao lado tanto de garotas
como de garotos (às vezes, ambos), também entram no pacote. 
Mais surpreendente do que a história em si, é o fato  de Sperling ser  filho de cineastas parisienses e toda a história ser baseada em acontecimentos da adolescência do escritor. Como qualquer pessoa curiosa, terminei de ler o livro e me vieram
diversos questionamentos. Para minha felicidade, fui atrás de Sperling, que gentilmente topou responder a algumas perguntas via e-mail. Confira abaixo!


Adriel: Você lançou o livro “Ilusões Pesadas” muito cedo, compartilhando muita
coisa da sua vida pessoal. Qual a porcentagem do real x imaginário da história?
Sacha: Se fosse para eu responder de verdade a sua pergunta, eu acho que o
meu livro perderia o mistério. Você não acha? No entanto, vou dizer-lhe isso:
escrevendo o primeiro livro e sendo tão jovem, se os fatos são 100% genuíno ou não, os sentimentos e emoções colocados no papel são muito reais.
Não há filtros de verdade quando você escreve em uma idade tão jovem.
A: Tornar público alguns fatos da sua vida complicou a convivência com
os seus pais?

S: É claro que mudou o relacionamento com os meus pais. Mas você sabe
que eles são diretores de cinema… Eles também contam histórias, a sua própria
história. Eles me entenderam. Eu acho que naquele momento, mais do que qualquer
momento da minha vida, e fiquei verdadeiramente grato por isso.
Sacha quando era pequeno com a sua mãe, Diane Kurys
A: A história de “Ilusões Perdidas” é muito interessante e
realmente mexe com a imaginação do leitor. Já surgiu alguma proposta para você
gravar um filme do livro?
S: Sim, quando lancei o livro uma pessoa se ofereceu para fazer um filme. Eu estava com medo. Na época, imaginando atores e toda a minha
história sendo jogada nos cinemas, foi um pouco demais para suportar. Eu era
muito jovem. Confesso que me arrependo um pouco, porque a pessoa que
me pediu hoje é um diretor de cinema de muito sucesso! Ainda assim, é uma
decisão que requer muita coragem para fazer um filme a partir de um livro.
A: Agora… Dá aquela dica básica pra quem deseja lançar o primeiro
livro!
S: Irei parecer muito chato e clichê, mas eu tenho de dizer que:
acredite em si mesmo, tenha fé… Escreva todos os dias, o máximo que você
puder. Como qualquer coisa, escrever é prática. A
credite
no que você está escrevendo sempre.
19 Comentários

19 Comentários em "Entrevista: conheça o escritor francês Sacha Sperling"

  1. QUE POST LEGAAAAAAAAL. Você fez uma entrevista com o cara, para de ser luxo menino, to aqui babando, morrendo de inveja branca. Destruiu tudo. O melhor de tudo é que suas perguntas foram ótimas, eu tinha até medo de ler a entrevista e me decepcionar, mas daí lembrei que você é jornalista/ advogado e sabia o que estava fazendo. Quem será que foi o diretor ein? aiai santa curiosidade.

    Preciso desse livro.

    Beijos. Tudo Tem Refrão

  2. Bianca diz:

    Que legal! Não conhecia o autor e achei o livro bem interessante! Parabéns pela entrevista! ^^
    Bluebell Bee

    • Nana diz:

      escrever super bem. ele tem outros livros tbm, viu?! 🙂

    • MOÇO, PELO AMOR DE JAH ME DIGA OS OUTROS LIVROS DESSE HOMEM!!!! Sério, após ler '' Ilusões Pesadas'' me senti em abstinência com a escrita desse ser humano. Tão crua, tão ácida e verdadeira. Dá pra sentir MESMO que cada palavra é real. Procurei suas outras obras mas infelizmente não achei nenhum informação sobre, então acabei acreditando que esta era somente sua obra-prima e isso me chateou. Você, Adriel é minha luz nesta escuridão kkk

      Excelente entrevista *–*

  3. Luly diz:

    MUITO, MUITO, MUITO LEGAL MESMO! Nossa, achei genial você trazer pra cá essa entrevista com o autor, legal porque ele foi bem sincero quando respondeu as perguntas, sem querer parecer modesto nem estrelinha, gosto disso!
    Coragem dele se inspirar assim na própria vida, sempre que escrevemos tem um pouquinho d'a gente, mas muita gente gosta de mostrar a face mas bonitinha, não a realidade como ele (eu mesma sou a que deixa as coisas mais bonitas).

  4. Jessica M diz:

    Nossa, que demais você fazer uma entrevista assim! 😮
    Achei interessante que ele foi super sincero para responder as suas perguntas.
    Adorei a dica que ele deu. Acho que não vale apenas para quem escreve livros, mas para qualquer coisa que pretendemos ter e fazer na vida. Tem que ter um desempenho diário!
    Beijos!

  5. Adriel, que entrevista mais incrível! Não tinha ouvido falar desse livro ainda, mas estou curiosíssima agora! Vou procurar na livraria, acho que vou gostar da leitura!

  6. Que legal!
    Adorei a dica de como escrever o primeiro livro, há tempos tento fazer isso.
    Enfim, seguindo, beijos.

  7. Que chic. Eu lembro da foto que vc postou no insta. fiquei super curiosa pra ler a história. 😀

  8. Anne diz:

    Que amorzinho ele concordar em responder as perguntas! Aliás todas as perguntas super bem formuladas!
    O livro deve ser bem legal, vou procurar por ele. Gosto desses relatos onde não dá pra saber o que é ficção e o que é real…
    Beijo

  9. aiiiin, quando tu me falou que tava atrás dele, eu nem botava fé, mas agora que li as repostas, vi que realmente ele é um querido. <3

    Adorei!