Eu nunca disse adeus!

Ela estava andando na rua principal da
cidade e levava consigo a dor da perda de um grande amor. Se sentia sozinha,
fora “abandonada” por alguém que sempre que a encontrava dizia que a amava. Estava
perdida no meio de tantos pensamentos que naquele momento eram insanos. 
A rua não estava movimentada como de
costume, o céu perdera a cor e o brilho, nada era perfeito como um dia ela
sonhara. Depois daquelas quatro palavras ditas por ele (eu não te amo), tudo
ficou preto e branco. Já não existia graça em viver!
Um lindo garoto vinha em sua direção,
por um momento ela pensou que ele ia falar com ela, mas nada aconteceu. “Tudo tem um porque, não adianta a gente
esperar a vida inteira por uma resposta que talvez nunca chegue. Temos que
seguir em frete com a cabeça erguida e partir para outra, afinal, a fila anda e
a vida continua. Se eu vou sofrer? É claro, mas aprenderei com os erros das
minhas escolhas e da próxima vez não serei tão tola como sou”,
ela pensou
começando a chorar.
O tempo passava, as horas do relógio
pulavam enlouquecidamente. A garota ainda continuava andando na avenida, mas
estava disposta a procurar um novo amor, desde que seja verdadeiro. Dessa vez
ela tomaria mais cuidado na hora de escolher…
Para piorar a vida da menina, eis que
uma mão grande e macia toca as costas dela dizendo:
 – Eu fui um tosco quando disse
que não te ama. Você pode não querer ficar comigo, mas vai ouvir tudo o que
tenho para dizer.
– Não dá mais, Maurício. O seu amor por
mim acabou. Em um relacionamento não pode apenas uma pessoa amar, ambos devem
ser amar. 
– E quem disse que eu não te amo?
– Você!
– Não, você está enganada. Quando eu
disse que não te amava não queria dizer exatamente o que você entendeu. Tu não
esperaste eu terminar o que tinha para falar, saiu desesperada.
– Como você queria que eu ficasse?
Rindo da minha cara de estúpida?
– O que sinto por ti já não é amor, é
um sentimento bem maior. É inexplicável.
– E como terei certeza do seu sentimento,
Maurício? Depois de tudo o que você me causou fica difícil acreditar em suas
palavras.
– Casa comigo. É casa comigo. Você
aceita ser minha noiva?
Depois de alguns minutos pensando, a
garota cujo nome eu desconheço, veio uma resposta em seguida de um beijo…
– Claro que eu aceito, Maurício. Isso
era tudo o que eu queria ouvir em todos esses anos que passamos juntos. Eu
também te amo e o amor já não define o que sinto por ti.
Abraçaram-se, beijaram-se e foram
felizes para sempre! Esse narrador continua sonhando com histórias bobas como
essas que deixa a gente enamorado por aquela pessoa que um dia disse que não te
amava, mas que prova com atitudes que suas palavras nunca foram verdadeiras.
  

Comente Comentários

Nenhum comentário em "Eu nunca disse adeus!"