Hétero, gay, lésbica, trans… nós somos tudo gente (e iguais!)

"

Vai demorar um bom tempo até eu entender a dificuldade da sociedade em aceitar. As decepções, os sonhos, desejos, as orientações sexuais, enfim, as pessoas. Se importar com o próximo é legal, até louvável. Porém, quando você invade a privacidade do outro, a coisa fica um pouquinho mais séria.

Antes de continuar o meu raciocínio, devo agradecer a uma amiga por me abrir os olhos quanto aos pré-julgamentos que cometemos diariamente. Liz, thanks por tudo! 😍

Voltando às minhas tretas… 😜

Outro dia estava numa rodinha de amigas conversando sobre gays, lésbicas, trans…. Durante o debate, euzinho (considerado descolado, mente aberta e tals) soltei um comentário bem idiota, dizendo que os bissexuais eram gays/lésbicas que não tinham coragem de se assumir, então acabavam se “rotulando” dessa forma. Como eu fui idiota. 👏👎

Depois desse debate, a minha amiga me procurou pra revelar-se bissexual. Fiquei em choque, porque ela era tão discreta, evangélica e bla bla bla. Novamente estava com pensamentos cheios de pré-conceito, sabe? Aproveitando a oportunidade, ela ainda me deu uma verdadeira aula sobre gêneros sexuais, porque, sim, eu ainda me confundo. Todo dia surge um diferente.

"

De acordo com essa miga, a bissexualidade nada mais é do que o fato de sentir-se atraído por homens/mulheres/whatever, sendo que, pra ela, o desejo é ainda maior por meninas – o que não a tornaria lésbica por conta de também curtir homens. Deu pra entender?

Como uma boa pessoa educada, agradeci pelos esclarecimentos, por se revelar bi e, principalmente, por entender as minhas opniões repletas de má informação. Afinal, não é porque sou gay que devo saber a definição de cada orientação sexual. É importante ter esse conhecimento? Sim! Sou obrigado? Nopes! 😉

Na verdade, ninguém é obrigado a saber quantos e quais são os gêneros sexuais, agora aceitar… Somos mais do que obrigados! Essa deveria ser uma das regras pra se viver em sociedade: olhar pro coleguinha e vê-lo não como gay, lésbica e afins, mas sim como um ser humano que emana paz e amor. Simples assim.

Enquanto todos continuarem julgando os outros e encontrando dificuldade em aceitar a minoria “diferentona”, mais embates e debates haverão. Espero que deles surjam boas soluções pro caos que virou as questões de gêneros na sociedade. #oremos 😘

12 Comentários

12 Comentários em "Hétero, gay, lésbica, trans… nós somos tudo gente (e iguais!)"

  1. Você disse tudo, devemos só aceitar mesmo sem entender muito sobre o assunto, devemos aceitar e respeitar… No meu caso, eu sempre falo que gosto de pessoas, não importa o gênero (:

  2. Simone diz:

    O grande problema é que a sociedade prega um binarismo sexual, por isso é tão importante discutirmos gênero. Ainda é uma discussão que está sendo construída, nas configurações de identidade e todos temos bastante para entender, pois existe uma multiplicidade: heterossexual, homossexual, bissexual, pansexual, assexual…
    É bom termos a mente aberta, abrirmos espaço na sociedade, sem preconceitos, para refletirmos sobre estas questões e rompermos com os paradigmas impostos por uma sociedade heteronormativa.
    Fico feliz que vc esteja aberto a desconstrução desses paradigmas. Seria bom que todos estivessem, não é mesmo?
    Beijos! 😉

    • exatamente, Simone! são muitos gêneros/identidades. conhecê-los todos é complicado, agora aceitar as pessoas é super fácil. basta olha pra cada pessoa como ser humano, gente normal e bla bla bla. o problema é que as pessoas problematizam algo que, na teoria, é tão simples. 🙁

  3. Esse post foi um exemplo de que a gente só aprende errando mesmo. Também já cometi esses erros, principalmente com relação a religião. Do tipo “Ue, fulana tá ali rebolando a bunda, mas ela não era de igreja?” como se “ser da igreja” privasse ela de mexer o bumbum, sabe? Mas agora já to com a cabeça mais no lugar e sempre antes de fazer um julgamento, penso no respeito, penso em como a pessoa vai se sentir com esse julgamento, daí apenas excluo ele da cabeça e respeito. Porque é disso que o mundo tá precisando hoje em dia: respeito e fim. Se cada um respeitasse o outro, o mundo seria bem mais fácil de conviver em grupos, sabe? Enfim, adorei o post!

    Só tenho uma dúvida: e a pessoa (mulher) que se sente atraída por gay (homem)? Como faz? HAHAHAHAHA! Brinks, só pra descontrair.

    Beijos!

    • respondendo à tua pergunta… acho que a tal pessoa estaria era bem lascada, pq dificilmente o gay iria ficar com ela, ou ficaria mas sem intenção de algo sério. é tudo muito louco! huahuahuahau

  4. O problema não é as pessoas que não entendem, mas aquelas que não estão abertas pra debate, como tu falou, seria ótimo se as pessoas tivessem interessadas em ouvir os outros, saber mais, se informar mais e participar de forma construtiva nesse diálogo, pois isso é o futuro, é o “normal’ – as pessoas serem livres e felizes do jeito que são e sem ter que sofrer por algo que é do jeito que é e pronto, sabe? Amo seus textos e os debates que tu levantas por aqui!


    Beijos
    Brilho de Aluguel

    • sim, sim! o futuro é justamente toda essa diversidade. quem não for se acostumado e respeitando, vai sofrer um cadinho, pq o povo não vai mesmo deixar o preconceito se sobressair novamente. e, obrigado por curtir os textos. isso é importante pra mim! <3

  5. Váh diz:

    Eu super me confundo com esses gêneros, mas acho bem interessante saber mais sobre isso.
    E isso de preconceito é bem complicado né? Precisamos nos informar mais, mas além de tudo respeitar o próximo independente das suas escolhas né não?
    Eu ainda tenho certos preconceitos, mas tento melhorar e mais do que tudo respeitar.

    http://heyimwiththeband.blogspot.com.br/

  6. Fernanda N diz:

    oie adriel!
    concordo com você. independente da orientação sexual, somos todos iguais, de carne, osso e pele. tenho amigos e conhecidos gays (tanto homens, quanto mulheres) e isso não muda em nada minha relação com eles. tenho também uma amiga antiga que se revelou bi para mim, mas eu continuo a vendo como minha amiga de longa data e nada mais… acho que o que importa é nos relacionarmos com pessoas que tenham afinidades conosco, independente se gostam de homens, mulheres ou ambos… e espalhar muito amor, paz e felicidade pelo mundo, porque é o que precisamos.
    beijoooo =*

    • exatamente, Fê! precisamos de mais amor, união e cada pessoa cuidar da própria vida, pq tá tenso o negócio. e não, a pessoa ser gay, bi, etc. não muda ela em nada; é apenas um orientação sexual pré-concebida… 😉