O verdadeiro amor

Há algum tempo atrás, ainda na infância, eu achava que o amor era nojento. Não ligava muito para o assunto. Não lia romances, tampouco gostava de filmes românticos. Sinceramente, aquilo não me agradava. Aos poucos fui entendendo que nada é mais lido, perfeito e único como amor.
Charlie, da série “two and a half men” (dois homens e meio), dizia que “o amor não é cego, é retardado”. De certa forma, pode até ser!
Vivemos num mundo capitalista, onde as pessoas só sabem buscar o seu “EU”. Dessa forma, não sabem encontrar o lado bom da vida.
Um amigo disse no Twitter que, “não é o amor que te faz sofrer, o que te faz sofrer são as pessoas e a falta de amor. O amor mesmo não machuca ninguém, o amor cura.” Eu tento não buscar o entendimento do amor, até porque ele é pra ser sentido e não compreendido. Contudo, sofrer faz parte da vida! Talvez sofrendo, nós daremos mais valor à vida, ao amor… Enfim, as coisas mais simples da vida.
Posso estar sendo careta, porém, sei que do mesmo modo que penso várias pessoas também têm este mesmo pensamento.
Hoje sei o que realmente é o amor. Posso entendê-lo. Acredito nos contos de fadas. Acredito nos anjinhos flechando corações.
4 Comentários

4 Comentários em "O verdadeiro amor"

  1. Carol diz:

    Sim, amar e muito bom, mais acho que o amor não deve ser compreendido, apenas sentido e vivido intensamente, por que se Deus fez o homem e a mulher tão diferentes era justamente para que um não entendesse o outro.

    Adorei o Texto!

    Parabéns!

  2. Adriel diz:

    Carol, penso o mesmo… Algumas pessoas tentam buscar explicação em algo que não tem. O amor está dentro de nós!

    Obrigado por comentar, e por ter gostado do texto. =)

  3. Olá Adriel!
    Eu acho que grande parte das pessoas são tão perfeccionistas que acabam não enxergando onde o amor se encontra. A busca plena pelo significado do amor faz com que elas não vejam que ele se encontra nas coisas mais simples e bobas: desde a conversa entre amigos, ou um abraço que afoga as saudades. (Isso pode parecer clichê, mas eu concordo com essa coisa de "a felicidade está nas coisas mais simples")

    É a busca repentina por algo perfeito que afasta as pessoas do amor.

    Você escreve muito bem, gostei do texto!

    http://galeriadasideias.blogspot.com/

  4. Adriel diz:

    É aquele velho ditado: "só podemos falar de algo quando conhecemos." O mundo está egoísta!
    Como você disse, "o amor se encontra nas coisas mais simples e bobas".