Apologize…

Eu tento todos os dias esquecer da sua existência, fingir que nada aconteceu e que tudo não passou de um simples sonho, mas é tão difícil lidar com a dor da saudade. Se fosse fácil, tenho certeza de que já teria te esquecido há muito tempo.
Eu me culpo por ser fraco para algumas coisas da vida, tipo te esquecer. Poxa! Você me machucou tanto falando algumas verdades e deixando claro o que rolava entre a gente. Mas, o que eu posso fazer se nada entrava na minha mente?
Como esquecer o dia em que você me mandou mensagem perguntando como eu estava? Juro que naquele momento eu pensei que a vida estava do meu lado e te traria de volta. Mas não! Você está (quase) pronto para partir para outro país. E eu apoio sua decisão. Se pudesse, até iria junto.
Não tem um dia em que eu deixe de pensar em você e ficar criando planos impossíveis. Sei que é um erro e que jamais (?) ficaremos juntos, mas… Sei lá, acredito demais naquelas histórias de amorzinho que vejo nos filmes, livros e seriados. É errado, eu sei, mas é isso que me faz seguir em frente!
Falando em seguir em frente… Por um bom tempo eu fiquei de “luto” por tua causa. Eu realmente estava sofrendo e desejando sempre o pior para mim. Quando vi que você está em outra (e com outra pessoa), resolvi acordar e tocar a vida. Deu certo apenas por dois meses; logo a saudade voltou.
Não adianta eu ficar com outros, porque você ainda vai estar presente na minha mente. É uma loucura tudo isso! E quer saber de outra verdade: eu te amo, mesmo você não me amando. Desculpa por tudo, principalmente por ter entrado na tua vida. Sei que você não queria nada disso. Nem eu. 

Texto que escrevi há dois anos para o D., mas resolvi deixar no rascunho do blog. Atualmente, o sentimento mudou um pouquinho… Hoje consigo entender que o melhor é ficarmos distantes um do outro. E que bom compreender isso. 

Comente Comentários

Diário, diário… Meu querido diário!

No último fim de semana fui dormir na casa de umas amigas. Enquanto arrumava minhas tralhas, acabei colocando na mochila o meu diário, um caderninho bem velho que me acompanha desde 2015. Já tive vários, mas este é o que está me acompanhando por mais mais tempo. 😃

Como eu não tinha nada pra fazer na casa das miga, resolvi reler os meus relatos. Não imaginei que iria chorar, mas, né, sou chorão! As lágrimas caíram, comecei a relembrar as situações e perceber o quão ótima é a experiência de relatar num caderno alguns momentos da minha vida.   💕

2015 eu posso resumir como um ano divisor de águas, onde fui morar sozinho (por 6 meses), bebi horrores, aprontei coisas que jamais pensei que seria capaz e acabei amadurecendo MUTIO. Foi um ano legal, apesar das milhares de tretas que me aconteceram. 😊

Veio 2016 e lá estava eu procurando trampo, preocupado com a faculdade e relacionamentos, claro. Pelos relatos do diário, foi um ano em que estive muito animado, viajei, curti meus amigos/família e tive muitos momentos de ansiedade. Nessa época, a minha amiga-irmã dividia quarto comigo, na casa dos meus pais.  Adorava ficar até tarde trocando figurinhas com ela. 😍

Lembro que 2016 foi um ano em que criei muitos projetos, mas nenhum saiu do papel. Na verdade, idealizar-e-não-realizar é bem a minha cara; poderia ser até meu sobrenome. 😛

2016 também foi um ano legal, em que aprontei muita coisa, conheci muita gente e refiz meus planos. Acho que eu meio que acordei pra vida, sabe? Nem tudo sairia como eu queria e okay algumas coisas não vingarem. 😉

Assim como 2016, não relatei muita coisa no diário em 2017! Talvez por eu nem saber o paradeiro do mesmo… 😛 Mas, mesmo assim ainda escrevi algumas palavras, descrevendo o  quão intenso está sendo esta era.  😥

Em 2017, a minha amiga-irmã foi embora, então, tive que começar a dormir sozinho e encarar o escuro (sim, tenho medo da escuridão, pois penso em monstros e tals! #medeixa). Os primeiros dias após a partida da Ana foram bem tensos, porque eu sentia MUITA saudades, chorava e ficava procurando motivos pra viver. Dramas à parte, tudo se ajeitou. Pra mim e pra Ana. 💗

2017 tá acabando e eu tô super animado pra voltar a escrever no meu diário. Quero preencher todas as folhas dele até o fim do ano e comprar um novo caderninho, pois, melhor do que ter um diário velho, é recomeçar num novo-caderninho-bem-fofinho. 💙💛

E tu? Já teve diário? Gosta de escrever em caderninhos? Me conta tuuuudooo! 😉

Tô fazendo parte do #Blogmas2k17, projetinho onde temos que postar todos os dias, de 1 a 24 de dezembro. A ~maravilhosa~ da Luly é quem organizou com outros blogueiros. <3

 

1 Comentários

Sou movido por música! #07

Nesta semana, os usuários do Spotify tiveram o seu balanço pessoal divulgado. Muitos se assustaram com os números de músicas executadas, artistas descobertos, gêneros musicais apreciados e afins. Eu mesmo fiquei em choque quando descobri que, em 2017, ouvi quase 40 mil minutos de música. Isso é MUITA coisa! 😲

http://naomevenhacomdesculpas.com.br/wp-content/uploads/2017/12/spotify.jpg

Se alguém tinha dúvidas quanto ao poder do mercado fonográfico, esse balanço do Spotify só veio pra mostrar que ele vai muito bem, obrigado. A cada dia os cantores ficam mais ricos, vendem mais (cópias digitais ou físicas) e conquistam fãs. E o que a gente pode tirar disso? 🤔

A música tem o poder de reunir pessoas, curar dores, servir como terapia e até mesmo entreter. Antigamente havia censura com o que se ouvia, hoje, felizmente, “tudo” é livre. A gente pode ouvir rock-psicodélico-pra-bater-cabelo e tudo bem; podemos também ouvir os funk-rala-tcheca e okay. 😂

Não sei com vocês, mas comigo… A música me ajuda de uma forma inexplicável: se eu estou triste, um pop (tipo Gaga!) é capaz de me animar rapidamente; se eu estou na bad, facilmente consigo ficar pior ou melhor com algum folk (da Ingrid Michaelson, por exemplo!). 😍

http://naomevenhacomdesculpas.com.br/wp-content/uploads/2017/12/m%C3%BAsica-Adriel-Christian.jpg

Na minha vida, a música marca época, momentos, sentimentos, pessoas… Sempre tenho uma canção que me lembra um amigo, professor, crush, parentes, etc. E isso é ótimo, pois faz com que, mesmo longe, eu jamais deixe de admirar, amar e emanar energias positivas pra quem eu amo. 🙏

Esse balanço do Spotify, por exemplo, acabou disponibilizando uma playlist com as 100 músicas que mais escutei em 2017. Preciso dizer que tá rolando muita nostalgia por aqui? Uma hora lembro de uma decepção amorosa, logo em seguida vem música de festinha, depois uma deprê e por aí vai. E eu tô amando essa mistura de sentimentos. 😉

Sim, a música está presente durante boa parte do meu dia. Ela me faz bem. Desconfio muito de quem diz não gostar de música. Deve ser uma vida bem chata.

 

Tô fazendo parte do #Blogmas2k17, projetinho onde temos que postar todos os dias, de 1 a 24 de dezembro. A ~maravilhosa~ da Luly é quem organizou com outros blogueiros. <3

1 Comentários