Olar, dezembro!

http://naomevenhacomdesculpas.com.br/wp-content/uploads/2017/12/Adriel-Chrsitian-Via-Lago-Aragua%C3%ADna-Tocantins.jpgEnquanto eu escrevo este post, milhões de pensamentos e preocupações se passam na minha mente. Ser uma pessoa elétrica tem lá as suas vantagens, mas desacelerar é preciso. E como fazer isso diante da correria da vida? Fugir pras colinas? Fica o questionamento! 😀

Hoje é o aniversário da minha mãe. A veinha tá chegando aos 40 anos… Nhoin! 😍🎂 Hoje também tenho uma prova da faculdade; uma matéria chata que eu nem sei o motivo de estar na grade… talvez, porque a faculdade tem que ganhar dinheiro enchendo os períodos de besteirol. #verdades

Amanhã tenho que acompanhar a apresentação de dois Trabalhos de Conclusão de Curso (TCC) de amigas que fizeram parte de toda a minha vida acadêmica (e fora dela também!). Estou feliz, empolgado, preocupado e MUITO ansioso. Talvez até mais do que elas. 🙁

Agora tô ouvindo Rouge! 💕 Graças a Deus as meninas conseguiram jogar as músicas no Spotify e, aparentemente, estão voltando com tudo. Torço muito pelo recomeço e sucesso. Elas merecem.

Ahh, também tô um pouquinho na bad. Um ex-crush, lá de 2014 ainda, retornou à cidade pra ficar por um tempo… De todos os caras que já passaram pela a minha a vida, ele foi o que mais significou algo. Queria MUITO reencontrá-lo, mas creio que não irá rolar! E é melhor assim mesmo. O reencontro só me faria mal, porque ele nunca gostou de mim, e eu… Eu ainda o amo! 💔

Enfim… Dezembro promete ser um mês agitado. Na minha vida e no blog. Todos os dias teremos posts por aqui. Creio que a maioria será bem pessoal, na espécie de “querido diário”. É rápido pra escrever e mais transparente. 😀

http://naomevenhacomdesculpas.com.br/wp-content/uploads/2017/12/04.jpg

Sim, tô fazendo parte do #Blogmas 2k17, projetinho onde temos que postar todos os dias, de 1 a 24 de dezembro. A ~maravilhosa~ da Luly é quem organizou com outros blogueiros. <3

17 Comentários

Sem filtro

Muita balada, farra e gaitadas faziam parte da vida de Ricardo. Ele vivia conectado, recebendo centenas de mensagens dos amigos que chamava-o para mais uma noite de curtição. Ele era um daqueles caras que não era rico, mas vivia rodeado de pessoas que possuíam uma condição financeira ok. Esse okay significa: capazes de bancar as festinhas, bebida e afins.

Ricardo era jovem, ainda na casa dos 23 anos idade. Possuía sonhos, desejos e objetivos de vida. Aos estranhos ele era muito tímido, já para os amigos era a verdadeira definição de puta-doida.

Por ser bastante extrovertido e engraçado diante de conhecidos, Ricardo também adorava compartilhar (virtualmente) um pouquinho desse seu lado “deboísta”, pois a internet não o amedrontava como a ideia de um papo face to face. E as pessoas do outro lado da telinha adoravam acompanhar o dia a dia do jovem… Elas sempre interagiam e se mostravam interessadas no conteúdo.

Porém, a vida de Ricardo não era uma maravilha. Por trás daquela explosão de “felicidade” havia um jovem inseguro, cheio de medo e complexos. É verdade que ele estava emagrecendo pra se sentir melhor diante do espelho, mas, os anseios continuavam batendo à porta.

Rick ainda não terminara a faculdade, havia matérias para pagar, as contas se acumulavam, pois há 9 meses estava desempregado… Para piorar ainda mais a vida offline, o jovem estava com problemas em casa. Infelizmente, o relacionamento dos pais não estava indo bem. Mais um item pra lista de medos.

Em uma dessas noites de bad, após beber todas que podia, Rick ficou pensando sobre a sua vida. As duas vidas: off-line e online. Ele acabou se dando conta de que estava fazendo tudo errado. Diante da câmera do celular era o loucão-descolado, de bem com a vida. Já no privado tudo estava desmoronando e o jovem não sabia o que fazer. Nessas horas ninguém sabe.

Com medo do futuro e sem ter como usar filtros, Rick apenas olhou pro céu e pediu uma luz a Deus. O que fazer com as contas? O que fazer com o relacionamento dos pais? E a grade da faculdade totalmente bagunçada?

Através de muitos questionamentos, dúvidas e medo, Ricardo percebeu uma coisa: a vida real é muito menos divertida do que a virtual. Na mundo off-line não há filtros, e sim lutas. Por isso o medo é grande de perder a batalha, pois isso atrasaria todos os planos de ser incrivelmente feliz.

Sem medo da reação de seus “telespectadores”, Ricardo resolveu fazer uma transmissão ao vivo para desabafar. A surpresa veio quando os internautas começaram a tirar as máscaras, mostrando que, sim, todos nós usamos filtros de vez em quando. E isso não é ruim.  

6 Comentários

I’m a little monster, baby!

A última edição do American Music Awards (AMAs) rolou nesse domingo, 19, trazendo como um dos destaques a performance de Lady Gaga. Bastou este fato pra eu ficar desesperado, já colocando no calendário esse evento imperdível. 😍

Como já esperado, a mãe das gays fez uma belíssima apresentação do single injustiçado “The Cure”. Pra quem não conhece, a música fala que o amor é a cura pra qualquer coisa, mesmo quando disserem que, por exemplo, uma doença não tem solução. 💛💙

Após a apresentação da Gaga, me peguei pensando sobre quando a conheci. Eu estava entrando no colegial, num mundo totalmente novo, onde tive de “apagar” da mente as várias vezes em que sofri bullyings no ensino fundamental. 💔

Naquela época, um novo canal acabou surgindo na tv local, em 2009. Era a MTV. Eu era tão da roça que nem sabia da existência do mesmo. Assim que sintonizei a tv, fiquei encantando com aquele mundo pop, cheio de música, alegria e tals.

Também através da MTV eu conheci a Gaga, o Twitter e um mundo bem louco e interessante. Tipo assim: morar no interior é foda, porque você só ouve duas coisas: forró e sertanejo. Não há rock, pop, hip hop, etc. Não há diversidade. Contudo, quando bati o olho naquela “nova” emissora, percebi que ela dava vozes aos jovens, mostrando a eles artistas irreverentes, saindo da mesmice e do popularzão.

Daí, em 2009, Gaga fez uma apresentação no MTV – Video Music Awards (VMA). Ela performava “Paparazzi”, dramatizando o quão foda é estar sob os holofontes. Confesso que fiquei com muito medo ao ver tanto sangue, mas depois fui pra internet ler explicações sobre, pois era muito burrinho na época. 😂

Na web encontrei o primeiro álbum da Gaga… A partir do “The Fame”, mantenho até hoje uma relação de amor e admiração pela cantora. Amo todos os trabalhos e projetos, pois é evidente que são feitos com carinho aos fãs. 😊

Durante os 08 anos em que acompanho Gaga, ela me ensinou tanta coisa… Que eu sou maravilhoso, não sou anormal, que mereço ser amado da mesma forma que amo e que uma hora ou outras as coisas se ajeitarão. Gaga me ensinou que pra ser Lady não precisamos de muita coisa: bastar ter fé, amar, SE AMAR e viver intensamente. 🦄🌈

18 Comentários