Gosto de lembrar dele.

Até hoje eu não sei o que me encantou nele. Quando o conheci, era apenas um garoto magrelo, típico adolescente good vibes. A gente ficou por um bom tempo conversando, se conhecendo e tentando criar uma amizade. Porém, algo foi mais forte dentro de mim. Infelizmente, não conseguia vê-lo apenas como amigo.

Diariamente eu me torturava. Uma parte não queria tê-lo só como amigo; o outro lado insistia que só a amizade bastava. Entrei em choque de personalidade. Já não me conhecia e queria saber todos os passos dele. Perdi a conta de quantas vezes passei em frente à sua casa, na intenção de vê-lo de longe.

Quando eu já não mais conseguia lidar com o sentimento, fui sincero e contei o que se passava comigo. Ele levou tudo na brincadeira, dizendo que a nossa “amizade vida loka” era boa e deveríamos continuar daquela forma. Hoje eu penso que, na verdade, ele nunca se importou comigo. Na festa em que “cobrei” um beijo, ele aproveitou a oportunidade pra deixar claro que não me curtia. E fui tão tolo.

Após o seu aniversário de dezoito anos, ele mudou completamente. Enquanto eu continuava me comportando como um adolescente-bobão, ele cresceu. Fisicamente e mentalmente, à propósito. Me perdi a partir dali, pois nos distanciamos na tentativa de eu melhorar. Mas nada mudou.

Veio a ligação da Gabi avisando que ele iria embora. Lembro perfeitamente  daquela tarde… Eu estava ocupando a minha mente em dois empregos, pois queria controlar os sentimentos.  Aquela chamada no celular foi meio que um soco na minha cara. A despedida foi 5 dias antes do meu aniversário de 20 anos.

Quatro anos se passaram desde o nosso último abraço. No passado doía muito pensar na nossa “história”, mas hoje… Hoje eu vejo o quanto cresci e mudei algumas coisinhas. Queria muito que ele retomasse o contato comigo (nem que fosse online) e tentássemos um relacionamento. Se não desse certo, pelo menos eu fui “fiel” durante 04 anos. À espera dele.

Em mais de quatro anos de amor (platônico, talvez), o meu sentimento nunca mudou. Sempre fiquei por aqui recusando pessoas e sem me interessar por outras de verdade. Ainda gosto de lembrar dele e do quão importante foi esse “romance” na minha vida.

Novamente repito: te amo pra caralho. 💗

Comente Comentários

Motivos para você assistir ao filme “Me chame pelo seu nome”

No início deste ano, mais especificamente dia 18 de janeiro, chegou aos cinemas brasileiros o filme “Call me by your name” (Me chame pelo seu nome, em português). A produção é baseada no livro de mesmo nome, produção original de  André Aciman.

Tanto o livro quanto o filme estão fazendo muito sucesso pelo mundo inteiro, principalmente depois de vencer a categoria de “Melhor adaptação”, no #Oscar2018. Pudera, né? A história é maravilhosa e eu sou suspeito pra falar sobre. 💖

“Call me by your name” é aquele longa que tem tudo o que a gente gosta: cenários lindos, looks incríveis e atores muito bons. Junta tudo isso aí + um roteiro bem adaptado = perfeição. Não é exagero da minha parte! As 2h do filme passam rápidas demais; a gente nem vê o tempo passar.

Relacionamentos

“Call me by your name” conta a história de Elio (adolescente) que se apaixona por Oliver (grandalhão). Só que Oliver também se apaixona pelo mais novo e isso não tem um resultado muito bom. É justamente por tudo não terminar muito bem que faz o filme ser incrível! A produção tinha tudo pra ser clichê, mas o desfecho é lindo, mostrando que maturidade é algo que todo mundo deveria ter, independente da idade.

Outra coisa que a gente aprende é que, às vezes, relacionamentos têm prazo de validade. E mesmo chegando ao fim, eles podem ser incríveis; nem sempre durar pra vida toda significa que o casamento/namoro foi legal. Manter consigo as boas lembranças do que passou é a melhor coisa a se fazer… Cultivar mágoas não resolve nada!

Descobertas

O filme também aborda uma questão muito presente na vida dos adolescentes ou até mesmo de pessoas adultas, que ainda não estão esclarecidas quanto à própria sexualidade.

Elio tenta ficar com uma menina, mas percebe que a coisa não é tão simples assim. Na verdade, ele sente mais atração pelo Oliver do que a menina. Daí vem o medo de ser descoberto pelas pessoas, o que os outros pensarão sobre sua orientação sexual… É mais ou menos o que muita gente passa hoje, quando ainda está “dentro do armário”.

Mais do quem drama, “Call me by your name” é um filme pra gente refletir sobre aqueles amores que passam por nossas vidas, deixando marcas profundas que só o tempo pode apagar. É uma história linda, fofa e que merece ser vista por todos, sem exceção. Hétero, gay, bi… Todos!

Se você puder tirar um tempinho, veja o filme. Tenho certeza de que não vai se arrepender! 😉

3 Comentários

Amores de verão

Quem nunca teve um amor de verão, daqueles que traz a esperança de que, sim, o amor é lindo? Impossível alguém não ter vivido algo do tipo. Se você nunca passou por essa experiência, sente aqui e vamos conversar mais sobre. 😜

Os amores de verão surgem de forma inesperada, demostram ser “para o sempre”, quando, na verdade, tem uma data mais do que certa pra acabar. O casal decide que é hora de dar tchau e tudo fica por isso. Só que nem sempre ambas as partes concordam com essa decisão, daí surge o sofrimento/solidão/amor platônico. ❤

Os amores de verão nos deixam bobos, lelê da cuca e aumentam ainda mais a nossa ansiedade. Um encontro deixa de ser um encontro, tornando-se pra gente o maior evento do século. E não é exagero! 🙈

Mesmo a pessoa dando todos os sinais de que será passageira na nossa vida, a gente fielmente acredita que ela ficará por um bom tempo, que agora é pra valer. Contudo, como toda paixão, chega a hora em que as máscaras caem, a verdade vem à tona e, mais uma vez, o nosso coração é partido. 💔

Olha… Não é pra qualquer um sofrer várias vezes por amor e mesmo assim continuar acreditando no sentimento. Mas, é aquela coisa: assim como os amores de verão passam rapidamente, as feridas causadas por outrem também são curadas em pouco tempo. 🕘

O lance é não deixar o medo destruir os nossos objetivos! Dizem por aí que quem busca algo com muita insistência, acaba conseguindo. Se a vitória não vir, paciência! Nem tudo vai ser do jeito que a gente deseja… Os amores de verão provam a cada dia essa máxima! 😘

Comente Comentários