Afraid

medo

Há dias venho querendo escrever algo mais “pessoal”. Palavras sobre mim e o meu dia a dia, sabe? Contudo, acredito que eu esteja passando por um bloqueio criativo (e ficando com muito medo!), onde a inspiração resolveu desaparecer por uns tempos. Quando ela voltará? Esse é o grande problema: não tenho a mínima ideia sobre quando voltarei a estar motivado pra fazer o que antes achava superinteressante.

Atualizar blog já não é mais tão legal quanto antes; postar fotinhas no Instagram nem me passa pela mente; ficar online nas redes sociais é algo que virou “obrigação”, só pra dizer a todos que ainda tô presente no mundo virtual. E assim os dias têm passado…

O ano começou, estamos finalizando o primeiro mês de 2018 e eu ainda continuo com trocentas dúvidas sobre o que fazer e qual rumo seguir. Resumindo: tá tudo muito louco e eu perdido! De vez em quando algumas pessoas conseguem me mostrar uma direção, mas o medo ressurge.

Medo eu sempre tive, é verdade. Anseios dos mais bobos à coisas bem tensas. Diariamente sofro ao enfrenta-los. Sim, ao invés de deixar os medos de lado, prefiro encarar, saber o motivo deles aparecerem, etc. Só que, às vezes, a gente fraqueja e cai.  E eu caio (quase) todos os dias. Mas o levantar é o melhor, pois a esperança é renovada e a coragem revigorada.

Não tenho a mínima noção de como organizar a bagunça da minha vida, porém… A fé que tenho em Deus é maior do que o medo. Por isso, sigo de cabeça erguida. Um passo de cada vez, controlando a mente na medida do possível e amando. Mesmo diante das dificuldades, tento manter os sentimentos de gratidão e amor comigo. Grato por tudo e amando até mesmo aquilo que me faz mal.

Sendo sincero, acho que ser adulto é, basicamente, dar um passo de cada vez e ir descobrindo as aventuras que o universo guardou pra gente. E eu tô nessa luta diária, tentando encontrar o sentido de tudo. 

2 Comentários

Um desabafo sobre “Minha vida fora de série 4”

Falar sobre a Paula Pimenta me deixa um pouco mais ansioso do que o normal. Pudera, né? Os livros dessa mulher me acompanham desde a época em que entrei na faculdade, lá em 2013. Até hoje, quando descubro que haverá lançamento de mais uma obra, entro em desespero. Foi o que aconteceu com “Minha vida fora de série 4”! 💗

Minha vida fora de série 4, de Paula Pimenta

Em 31 de agosto de 2017 foi lançado “Minha vida fora de série 4”, mesmo dia e mês do meu aniversário. Com certeza não haveria presente melhor pra eu receber. Infelizmente, só fui lê-lo agora, em janeiro. E foi a melhor decisão que fiz, pois comecei a minha maratona literária com o pé direito. 😍

Na 4º temporada da saga “Minha vida fora de série”, temos pouco mais de 400 páginas contando o estado de Rodrigo após terminar o namô com a Priscila-chatiane. Sim, o livro é TODO narrado pelo Rod. Sendo sincero: AMEI! E não, não gosto do Priscila. Sempre achei a personagem muito imatura, inconsequente e mimada. #paz

Novos personagens aparecem, romances, aventuras e viagens. Esta temporada está cheia de coisas fofas e sentimentalismo. Finalmente a gente pode entender a mente do Rodrigo e torcer por um recomeço bacana. É daí que surge Julie, Antonella, os caras de uma banda, Mrs. Becker e afins. Peguei um amor por cada personagem gringo que apareceu e acabei achando os brasileiros um chatões. 👎

Minha vida fora de série 4, de Paula Pimenta

“Minha vida fora de série 4” continua tendo a mesma diagramação dos demais livros: conversas por e-mail, torpedos, tweets, etc. A novidade é que a Paula Pimenta inseriu também trechos em inglês (com tradução no rodapé, claro!), o que trouxe mais realismo à história. Ah!, as citações de frases de seriados a cada capítulo continua… Elas meio que dão spoiler do que acontecerá, mas, né, muitas vezes a gente acaba se enganando. (Eu acabei sofrendo antecipadamente, pensando que algo ruim ia acontecer, mas, era só quase um pedido de casamento… Ooops! 😛)

Sou suspeito para falar sobre os livros da Paula, contudo, posso dizer com todo o meu coração que “Minha vida fora de série 4” é a obra mais madura, completa e linda já lançada pela autora. Supera demais “Fazendo meu filme” e os demais. É um comeback que te faz chorar, sorrir, suspirar, ficar com raiva… Uma mistura de todos os sentimentos possíveis!

Se você ainda não conhece nada da Paula Pimenta, saiba desde já que está perdendo um ótimo trabalho. De todos os escritores brasileiros que já li até hoje, somente ela me faz suspirar com suas histórias. Como o prefácio do livro diz:

“Não sei se é pela simpatia, por viver no mundo da lua ou por acreditar tão avidamente no ‘felizes para sempre’ que eu chego a pensar que a Paula nem é gente de verdade, e sim uma personagem de contos de fadas que saiu por aí, fugida, querendo de qualquer jeito contar novas histórias”.

 

Editora: Gutenberb / Páginas: 448 / Gênero: Literatura infanto-juvenil

 💗 Fotos: Letras na gaveta

1 Comentários

“O estrangeiro”: novo filme estrelado por Jackie Chan

Fazia tempo que eu não ficava tão animado pra assistir à um filme estrelado pelo Jackie Chan como agora. Nem lembro qual o último filme dele que vi… Provavelmente deve ser um bem antigo! Confesso que dessa vez super me empolguei com o lançamento de “O estrangeiro” (“The Foreigner”, em inglês). Aqui no Brasil, a produção chegou nos cinemas no dia 11 de janeiro, e é claro que eu fui ver! 😍

“O estrangeiro” conta a história de Quan (Jackie Chan), proprietário de um restaurante chinês em Londres, que vê sua única filha ser morta durante um ataque terrorista cometido pelo Exército Republicano Irlandês. Antes da partida de sua descendente, o homem já havia perdido outra filha durante um bombardeio. Ou seja: o fato recente foi um baque maior do que esperado. ☹

Com muita tristeza e sangue nos olhos, Quan procura o ministro da Inglaterra, Liam Hennessy (Pierce Brosnan); ele foi um um antigo membro desse Exército Republicano da Irlanda, então, sabe de muitas coisas dos bastidores. Mesmo sem obter resposta sobre os autores do atentado, o homem decide buscar vingança com as suas próprias mãos. É aí que a bagaceira começa. 👊

O ministro Liam não quer fornecer informações, pois tem muita coisa oculta por ele e, se reveladas, podem custar a sua vida e até mesmo o cargo no Governo. Quan liga pra isso? Nopes! Ele joga bomba em trocentos lugares, cria muitas armadilhas pros policiais e faz a coisa acontecer.

Enquanto Liam juntamente com a polícia tentam desvendar o atentado, Quan é mais rápido do que todos e sempre dá uma luz a eles. Foi bem legal vê o Jackie Chan se mostrar antenado às tecnologias do século 21… No filme, é possível vermos ele usando iPhone, computador, etc. Mesmo com 63 anos de idade, o homem está por dentro da atualidade. 😍

Em “O estrangeiro”, Jackie Chan mostra que ainda tem muito pique pra outros filmes, não é à toa que já temos datas pra lançamentos em 2019, e olha que o ano mal acabou. #todospiram

Se você curte suspense na medida certa, ação e muita luta, “O estrangeiro” é o filme certo. Se não for fã do trabalho do Jackie Chan, dê uma chance agora, pois o resultado desta produção é excelente. Pudera, né? O diretor é apenas o Martin Campbell, que tem no currículo trocentas direções, tais como  “A lenda do Zorro” e “Lanterna verde”.
Comente Comentários