Resenha: Música ao longe

Autor:
Érico Veríssimo
Editora:
Círculo do livro
Ano: 1978
Páginas:
243
Gênero:
Romance

Sinopse: Os Albuquerques orgulham-se de terem
recepcionado o imperador D. Pedro II numa suposta visita do monarca ao município;
de terem sido donos da maior estância das redondezas e de terem servido como
benfeitores da população. Mas na década de 30, atolados em dívidas, lutam para
não perder o último casarão familiar…




A história
do livro é simples, mas o modo que o autor tratou o tema principal (tradição
familiar) enriqueceu toda a obra.
Por ser uma
Albuquerque, Clarissa, personagem principal, tem que “concordar” com todos os
costumes deixados pelo Senhor Oliveiro. Cansada da mesmice, a jovem professora
de 16 anos que acabara de se formar resolve escrever um diário. É através de
Clarissa e seus escritos que a história se desenvolve.
 Os Albuquerques eram a maior família de
Jacarencaga, maior não em tamanho, mas em riquezas. Para se ter ideia da
importância da família, na pequena cidade havia ruas com o nome da família.
Uma coisa
que achei legal no livro foi o momento em que o Vasco, primo e possível paixão
de Clarissa, disse que é melhor vivermos um romance do que lermos (romance).
O final é
decepcionante, o autor não dá um fim aos personagens. Ninguém sabe o que
acontece com Tia Zezé, se Cleonilda casou depois de 12 anos noiva e, por fim,
se Vasco namora Clarissa.
Meu
personagem preferido é o Velho Leocádio. Ele era um homem que queria ser
intelectual, para isso lia uma biblioteca virtual.
A obra
recebe esse nome porque para Clarissa o amor é como uma música ao longe;
incerto demais. 

9 Comentários

9 Comentários em "Resenha: Música ao longe"

  1. Jéssyka diz:

    Isso me lembra um livro que eu li na escola, Clara dos Anjos. Nossa, o livro era bem interessante, mas o final… Odeio não gostar dos finais!

    Beijo, beijo :*

  2. Nana diz:

    Eu também não gosto de ler livros e não gostar dos finais, mas fazer o que? Não podemos bater nos escritores. Hahaha.

    Beijos.

  3. 'raah diz:

    ooi (:
    No momento em que você disse que o fim não foi tão legal, me desanimei totalmente. Não sou muito chegada em livros 'só' de romances. São raros os livros desse gênero que eu leio KK.
    beijos ;*

  4. Nana diz:

    Ai, gente… Eu não quero que vocês não leiam o livro, eu dei a minha opinião. Talvez para vocês a história seja boa, vale à pena ler o livro.

    Obrigado pelo comentário, Raah. 🙂 Xoxo.

  5. Oie… Hummm, parace interessante a história apesar de o final não aparentar ser muito bom conforme o que você disse. Mas temos que lembrar que cada um tem um gosto, o que pra um o livro não foi bom, pra outro pode ser ótimo… 🙂

  6. Bia Pupato diz:

    "O amor que ainda não se definiu é como uma melodia de desenho incerto. Deixa o coração a um tempo alegre e perturbado e tem o encanto fugidio e misterioso de uma música ao longe…"

  7. Bia Pupato diz:

    Concordo com você quanto ao final, mesmo assim é um dos meus livros favoritos!..