Resenha: Simon vs. a Agenda Homo Sapiens (2015)

simon-vs-a-agenda-homo-sapiens-destaque-vai-lendo-800x445

Sinopse: Simon tem dezesseis anos e é gay, mas ninguém sabe. Sair ou não do armário é um drama que ele prefere deixar para depois. Tudo muda quando Martin, o bobão da escola, descobre uma troca de e-mails entre Simon e um garoto misterioso que se identifica como Blue e que a cada dia faz o coração de Simon bater mais forte. Martin começa a chantageá-lo, e, se Simon não ceder, seu segredo cairá na boca de todos. Pior: sua relação com Blue poderá chegar ao fim, antes mesmo de começar.

Agora, o adolescente avesso a mudanças e apaixonado por biscoitos Oreo precisará encontrar uma forma de sair de sua zona de conforto e dar uma chance à felicidade ao lado do menino mais confuso e encantador que ele já conheceu.

Uma história que trata com naturalidade e bom humor de questões delicadas, explorando a difícil tarefa que é amadurecer e as mudanças e os dilemas pelos quais todos nós, adolescentes ou não, precisamos enfrentar para nos encontrarmos.

O ano está quase no fim e estou montando um estoque de livros para as férias. Essa semana chegaram cinco, entre eles o que eu estava mais ansioso para ler: Simon vs. a Agenda Homo Sapiens. Venho o namorando há um bom tempo e simplesmente o devorei, do dia em que chegou.

1918370_10154289444750579_2992764882902040504_n

A premissa parece clichê, mas o livro pode ser considerado tudo, menos clichê. Dilemas que a maioria enfrenta estão presentes na vida de Simon, um garoto comum e meio sem sal, mas o desenrolar é sempre uma surpresa. Me identifiquei muito com o gosto musical do Simon – a autora sempre menciona músicas que ele está ouvindo, a maioria folk e indie rock. Uma das coisas que mais me chamou atenção sobre sua personalidade é que ele não é do tipo que se vitimiza. Para um adolescente, ele se mostra muito bem resolvido com sua sexualidade, apesar de ninguém da sua família ou do seu círculo de amizade saber de fato.

O livro foi escrito pela Becky Albertalli, uma psicóloga americana especializada em tratar casos de crianças com não conformidade de gênero. Acredito que essa bagagem lhe permitiu explorar uma visão bastante sensível do universo LGBT. Os dilemas enfrentados por Simon são abordados com muita leveza e uma dose equilibrada de bom humor.

headshot-8fcb31914f1e

Alguns aspectos do livro me incomodaram um pouco, por exemplo, a maneira um tanto abrupta com que Becky insere vários personagens na história. Simon é um garoto popular, anda com muita gente e transita por diferentes tribos. Os personagens de todas essas tribos são apresentados, quer tenham muita importância ou não na trama. Isso me incomodou porque há diálogos de várias pessoas onde as falas não são identificadas, então se você não tiver uma atenção redobrada, você se perde na leitura, pois não sabe quem está falando, quem acabou de entrar na conversa. Eu até curto esse traço nas narrativas, de não identificar falas de personagens com “fulano disse”, “beltrano respondeu” – torna a narrativa em primeira pessoa mais imersiva –, mas se adequa melhor quando o diálogo se dá entre duas pessoas. Em diálogos de três ou mais, fica complicado para o leitor. Eu, particularmente, costumo me perder e tenho que reler trechos, o que causa um certo desconforto.

Outro aspecto que me incomodou é que a trama demora um pouco a engrenar, mas do meio pro fim você não quer parar de ler. A autora soube instigar muito bem a curiosidade do leitor.

Os últimos capítulos do livro são muito fofos. Eu me pegava dando uma risadinha ou suspirando em vários momentos, o que acabou fazendo com que eu me apaixonasse pela leitura, apesar dos pesares.

Aos românticos que curtem histórias com temática LGBT, super indico Simon. vs a Agenda Homo Sapiens 😊

10 Comentários

10 Comentários em "Resenha: Simon vs. a Agenda Homo Sapiens (2015)"

  1. Dai Castro diz:

    Já li muitas resenhas positivas sobre esse livro e pelo o que pude perceber, a autora conseguiu dar um tom bem legal para abordar o tema de sexualidade. Não sabia que ela era psicologa especializada nesse assunto, achei bem legal esse tipo de informação! Está na minha listinha! Beijos! 🙂

    Colorindo Nuvens

  2. Eu nao tinha ouvido falar do livro. Assim que notei que a resenha havia sido publicada, no meu primeiro olhar pelo título nao achei que seria assim a historia. Eu sou adepta a quebra de tabus e totalmente contra qualquer tipo de preconceito. Tive uma amigo que desde novo sofria por saber de sua orientação sexual (a msm do protagonista) mas que sofreu absurdos até finalmente ter coragem de se assumir, apesar de nao gostar dessa expressao. Então, tenho certeza que vou adorar o livro. E ja sei quem tbm vai 🙂

  3. Julie diz:

    Nossa, quanto tempo que não passo aqui né?! Deu até saudades do blog e dos posts! Hahaha. Sobre o livro, nunca tinha ouvido falar. Dá pra acreditar nisso? Como a Raissa falou no comentário acima, nunca ia associar o título com o tema, achei bem distintos até. Mas olha, fiquei bem curiosa e achei interessante. Uma pena eu estar na maior correria agora, final de semestre é sempre corrido 🙁 bj, bj!!

  4. Eu amo os livros da Intrinseca! Eles tem um cuidado diferente com suas publicações e sempre são tão lindas!! <3

    http://www.carolvayda.com.br

  5. yasnaya diz:

    Nunca li nada com essa temática.
    Já vi algumas resenhas desse livro, a sua só me lembrou de querer ler.
    Quero, porque acho interessante saber como uma pessoa que não se assume pensa.
    Tô lendo muito a respeito para um roteiro/livro
    Vejo tanto preconceito que dói meu core
    Bom, vou baixar 😉

    xoxo

  6. Débora diz:

    Estou com vontade de ler este livro já faz um tempo. Já vi algumas resenhas sobre ele e o que chamou a minha atenção é a forma delicada como a autora aborda o tema.
    Beijinhos ♥

    Contadora de Histórias

  7. Olá, moço!
    Olha eu = )
    Que lindo que ficou o novo “Não me venha com desculpas”. AMei!

    COmecei a ler Simon no meio do ano, mas não terminei. Eu realmente estava gostando, mas por conta da faculdade e das leituras obrigatórias acabei tendo que deixá-lo de nada. Breve vou continuar.

    Bjão.
    Diego, Blog Vida E Letras
    http://www.blogvidaeletras.blogspot.com

  8. Vi este livro na livraria e não gostei da capa, vi de longe e imaginei um tema totalmente diferente. É por isso que gosto de blogs literários, cheguei aqui, li a resenha e fiquei super interessada. É muito legal a premissa. Abraço!

  9. Carlos Eduardo Morais diz:

    Eu não dei atenção á este livro até agora, antes de ler sua resenha. O livro parece ser muito bem escrito, com uma história bem leve, descontraída e realmente tocante, principalmente por seus personagens únicos e cativantes, inclusive Simon, um garoto que muitos irão se identificar.

    A capa, pouco me atraiu, mas em saber que temos uma grande narrativa que vale a pena ser lida e até mesmo relida, eu adicionei em minha lista de desejados na esperança de adquiri-lo em breve.

    Abraços!

  10. Comecei e terminei esse livro ontem. Ele é muito gostosinho e fácil de ler.

    Não me surpreendi com quem era o Blue também. Lá pela metade do livro já estava suspeitando sobre a identidade dele, mas isso não tirou a graça da história. Esperava um pouquinho mais de tudo, acho que criei muita expectativa, mas no geral eu adorei. Li no Kindle, mas quero comprar a versão física porque também achei a capa MARAVILHOSA!