O que o seriado “Sex and The City” tem em comum com o Feminismo? Tudo!

sex-and-the-city

1999. Fim da última década do século XX. Eis que lá naquela época surgia o seriado “Sex and The City”, protagonizado por quatro mulheres-amigas que viviam uma vida descolada na pacata sociedade de Manhattan, em New York.

A mulher daquele período deveria comportar-se como uma lady, vivendo sob a sombra do marido e sendo beneficiadas por tal latitude, com compras nas lojas mais caras da cidade e muito ouro. Acontece que as quatro mulheres-amigas do seriado não queriam ser dominadas por homens ou por as regras que a sociedade empunhavam-nas.

sex-and-the-city-seriado

Aqui vai uma rápida apresentação sobre cada personagem: Miranda é uma advogada bem sucedida, Carrie é jornalista, Charlotte é empresária de uma galeria de artes e, por fim, Miranda é publicitária e a mais “safada” do grupo.

Com uma narrativa leve, de modo geral, “Sex and The City” trata sobre as barreiras que as mulheres enfrentam quando falam sobre seus relacionamentos (e, claro, o sexo!). Por diversas vezes as personagens questionam ao telespectador os motivos de não poderem falar, abertamente, sobre o sexo anal/oral, farras até altas horas da noite e até mesmo o medo de terem os homens por perto, dominando-as.

sex-and-the-city-hbo

Sabe-se bem, que nos dias de hoje, se a mulher falar sobre os temas citados anteriormente, a sociedade irá julgá-la como vulgar. E é aí que a luta pelo feminismo surge em “Sex and The City”.

O termo não aparece diretamente no seriado (até mesmo porque não existia na época), mas as personagens batem de frente com todos, até mesmo as mulheres, que julgavam-nas.  Ou seja: a atitude das mulheres-amigas é praticamente a mesma das feministas de hoje, que lutam por igualdade e, acima de tudo, respeito.

Para quem gosta das lutas sociais, fica aí a dica de um ótimo seriado! 😉 

24 Comentários

24 Comentários em "O que o seriado “Sex and The City” tem em comum com o Feminismo? Tudo!"

  1. elas são mesmo a personificação da dependência feminina <3
    amo Sex and city, vendo as séries e os filmes sempre quis ser como elas, ser forte, independente, e viajar muito <3

    Blog Entre Ver e Viver

  2. Sou apaixonada pelas mensagens maravilhosas que a série carrega em linhas e entrelinhas. São lições intensas sobre relacionamentos amorosos, amizades, família, autoconhecimento, trabalho e demais alcances. Não concordo com as atitudes que algumas personagens tiveram, mas são quesitos assim que nos tornam mais repletos de releituras internas e mais críticos, não é? A série é uma lindeza e, sem dúvidas, todos os quesitos basilares do feminismo e respeito surgem no decorrer. Adorei esse lembrete por aqui!

    http://www.semquases.com

  3. Da diz:

    Nunca pensei que Sex and the City transmitia essa mensagem de luta por igualdade de gêneros! Na verdade eu nunca assisti até porque na época de seu lançamento eu ainda era uma pirralha e esse tipo de seriado não iria chamar a minha atenção (hahaha)!
    Mas, acho que a obra então continua bem atual, até porque estamos travando vários lutas sobre o tema e quebra de tabus impostos pela sociedade machista. Vou com certeza olhar esse seriado com outros olhos agora, fiquei interessada em conhecê-lo melhor! Beijos!
    Colorindo Nuvens

  4. Não sei porque até hoje nunca vi SATC! Sempre vejo uma galera falando bem do seriado (e do filme), conheço os personagens, mas como a série ja acabou e se passaram muitas temporadas, fico sempre naquela preguicinha.. mas vou ver pelo menos o filme p ver se animo!!!

    beeijo

  5. Clayci diz:

    Oi seu lindo!!
    Ahhh Sex and teh city é a melhor série que existe <3
    Saudades imensas de passar meus finais de semana assistindo.
    Concordo COM TUDO que vc disse <3

  6. hellz diz:

    Oi adriel!

    acredita que eu nunca vi sex and the city? Sei da existência e tudo mais, mas nunca parei pra realmente ver do que se tratava.
    Agora que você expôs essa importância social no texto, eu simplesmente tô aqui me perguntando porque nunca fui atrás, gente!
    E melhor ainda saber que é uma série tão antiga e que traz temática ainda atual. Vou começar a ver *-*

    beeeeeijo
    beinghellz.com

  7. Eu amo Sex and The City e realmente, as pessoas acham que só é sexo mas tem tanta coisa legal e interessante que eles também querem mostrar né?

    xox
    proximaprimavera.com

  8. Luly diz:

    Eu só assisti os dois filmes e alguns episódios de SATC e acho INCRÍVEL essa mensagem de libertação sexual da mulher que ele passa. Inclusive o primeiro filme é um dos poucos que já vi na vida que não tenham classificação altíssima e aparece, nem que seja por alguns milésimos de segundo, um cara pelado de frente (na verdade meio de lado, né), enquanto as mulheres aparecem toda hora.
    Tem uma passagem que eu AMO também na viagem delas em que rola uma discussão sobre essa obrigatoriedade ridícula que as mulheres têm de se depilar. Acho inclusive que é minha cena favorita!

  9. Já ouvi falar tanto sobre esse seriado mas acho que ninguém usou esse termo tão abertamente. Feminismo. Acho legal você comentar sobre isso e eu me peguei pensando que o entretenimento ajuda muito, né? Nesse caso, por exemplo, um simples seriado pode abrir espaço para diversos questionamentos e mudar diversos pensamentos ultrapassados e errados.
    Gostei da dica.

    Beijos,
    Bi.

    http://www.naogostodeunicornios.com

  10. Essa série já é um clássico, ouço sempre falar bem dela, mas infelizmente nunca vi nada relacionado ainda… E eu tenho curiosidade! O problema é que sai caro comprar ela, rsrsrs.
    Ótima resenha, você soube fazer um perfeito raio x da série, sem entregar o jogo, parabéns, adorei!

  11. Apesar de ser bem clássica, nunca tive tanta vontade de assistir a série. Sei que muita gente, como você, ama. Mas acho que não faz o meu estilo, sabe? Mesmo assim quem sabe não assisto um dia? haha Nunca se sabe, não é?

    Adorei seu post. Muito bom.

  12. Fico maravilhada quando encontro pessoas que assistiram SATC. Aconteceu parecido comigo, assisti aos filmes e em 2013 criei coragem para assistir as 6 temporadas. Umas das melhores séries que já assisti, se não a melhor. Com temas atuais e dúvidas sempre frequentes, não tinha como não amar as aventuras das garotas de New York! Enfim, parabéns pela fantástica resenha! Beijos.