Dica de Livro: Sobre Garotos Que Beijam Garotos (Enrique Coimbra)

IMG_2882

Conheci o trabalho do Enrique Coimbra em 2014, quando estava fazendo uma pesquisa no Google para encontrar livros curtos e achei no Discípulos de Peter Pan, site onde o Enrique escreveu de 2012 a 2015, um post indicando “5 livros gays para ler num final de semana”, sendo o primeiro da lista um livro seu: “Sobre Um Garoto Que Beija Garotos”. O título é diferente do que estou usando neste post porque o livro foi publicado inicialmente, de forma independente, em 2014, mas em 2015 foi relançado pelo selo Casa da Palavra, da editora LeYa, e o título foi alterado para “Sobre Garotos Que Beijam Garotos”.

Eu vinha arrastando há bastante tempo a vontade de ler esse livro, mas só em junho deste ano tomei a iniciativa de comprá-lo na Amazon, onde estava com preço mais em conta, e aproveitei as férias para ler. Li em uma semana, mas daria para ter lido em uma tarde.

Como o próprio Enrique esclarece na nota do autor, ele sentiu necessidade de escrever esse livro depois de viver mais uma aventura emocionalmente masoquista com um menino heterossexual. Ele afirma que esse tipo de relacionamento impossível, que serve como experiência para sanar curiosidades e que não define condição sexual de ninguém, são comuns em sua trajetória. Todos os personagens e situações do livro são baseados em fatos reais, mas não aconteceram somente com o autor. Vieram de amigos, desconhecidos, conversas que ele ouviu quase sem querer e experiências em aplicativos de pegação.

Não é difícil se identificar com os personagens ou com os dilemas vividos por Enzo, o protagonista. Eu, particularmente, me identifiquei mais com outro personagem, o Breno, rapaz que o Enzo conhece enquanto ainda está envolvido com Ian, o garoto heterossexual com quem ele tem um rolo complicado – com ele e mais meia dúzia de garotas, só pra constar, entre elas a Amanda, uma “amiga” do Enzo.

Confesso que não achei o livro impecável como eu esperava que fosse, mas admito que isto é culpa das minhas expectativas. Sou o tipo de leitor que gosta de ser surpreendido, mas geralmente crio expectativas demais em torno dos livros que quero muito ler, aí quando leio acabo me frustrando um pouco. Mas, voltando ao livro, apesar de ser bem escrito, achei a narrativa confusa algumas vezes. Noções de tempo e espaço não ficam tão claras em muitos momentos, mas justamente por não ficar tão claro, pode se tornar mais legal para o leitor, que se sente dentro da cabeça do Enzo. Não vai parecer que você está lendo uma espécie de diário do personagem, vai parecer que você está dentro da mente dele, lidando com os conflitos junto com ele, e isso é bem legal, ainda que seja necessário reler alguns parágrafos na tentativa de se situar melhor na leitura.

No final das contas, o livro é bacana, tem um desfecho interessante, é uma leitura rápida, nos faz refletir sobre algumas questões. Eu recomendo!

Para quem não sabe, o Enrique Coimbra é, além de blogueiro e escritor, um youtuber de sucesso com o seu canal Enrique Sem “H”. Ele até apareceu no programa Amor & Sexo, da Rede Globo. Para mim, o Henrique é, acima de qualquer outra coisa, uma inspiração! Com apenas 22 anos, ele publicou nada menos que três livros no mesmo ano, de forma independente. Precisa ser muito corajoso e determinado para isso! Ele já contou sobre essa experiência e deu dicas sobre como escrever em pouco tempo, como enfrentar procrastinação e até como se autopublicar em seus canais e nos sites para os quais escreve.

9 Comentários

9 Comentários em "Dica de Livro: Sobre Garotos Que Beijam Garotos (Enrique Coimbra)"

  1. Legal!
    Não conhecia o livro e nem o autor, mas gostei da indicação.

    bjO e tenha uma ótima semana!

    Dany
    Breshopping da Dany
    http://www.brechodanylins.com.br

  2. É a primeira vez que passo por aqui, e adorei seu cantinho. Eu ainda não li esse livro, tampouco conhecia, mas já imagino que seja bem interessante, aliás, a resenha está ótima! Tô super curiosa pra saber mais, porque é bem diferente vermos nas histórias essa mistura do hétero x homo. Ou talvez eu que tenha lido pouco sobre esse universo LGBT. 😀

    Beijo <3

  3. Adorei loucamente a resenha. Com pontos positivos e de críticas construtivas super bem colocados – e nos fazendo já navegar em reflexões através das bases da obra. Maravilhosa! E que trabalho bacana o do Enrique!

    http://www.semquases.com

  4. Adorei sua resenha, eu ainda não conhecia o livro mas já tinha ouvido falar sobre o autor. Uma pena ele ser meio confuso, tinha tudo pra ser um livro daqueles que a gente nunca esquece! Mas deve ser bem legal mesmo 🙂

    Beijos
    BlogCarolNM
    FanPage

  5. hellz diz:

    EU sempre tenho um grande problema com literatura lgbt, porque sempre acho os livros estranhos, com muitos furos, longe da realidade e com a escrita meio duvidosa. Pelo que você disse, é uma leitura que vale a pena, então acho que daria sim uma chance.

    Quero muuuuuuuuito amar algum livro lgbt, mas ainda nao encontrei aquele pra chamar de meu. Quem sabe não é esse?

    beeeeeeeijo
    beinghellz.com

  6. Vanessa diz:

    Caramba o Enrique só tem 22? Com livro, canal famoso, eu achei que ele fosse mais velho! Deve ser uma leitura bem interessante a dele <3 gostei de conhecer!

    Bjinhos,
    http://amigadelicada.com

  7. A literatura brasileira tá cada vez mais diversificada né? Temas que só eram trabalhados na gringa tão começando a aparecerem por aqui! E tô passada que ele só tem 22 anos com 3 livros :O

  8. Juliana diz:

    Não conhecia esse livro, mas fiquei curiosa para ler com a sua resenha. Uma pena ele ser um pouco confuso, mas pelo menos já sabendo disso, não vou ler com expectativas tão altas. E mesmo assim parece ser uma leitura boa de se fazer!
    Eu faço isso direto também, de criar expectativas altíssimas a respeito de um livro e me decepcionar depois.
    E fiquei surpresa por ele ser tão novinho e já ter três livros publicados 😮

    Beijos!

  9. Bela diz:

    Tenho um platônico pela alma do Enrique!
    Ainda não parei pra ler nenhum dos livros dele mas eu perseguia ele desde a época do discipulos de peter pan ahsiuahuishauhsuh
    A Bela, não a Fera | Youtube A Bela, não a Fera | Fã Page no Facebook