Sou fácil, mas nem tanto

Modéstia à parte, sou uma pessoa fácil. Pra conversar, pedir um favor, paquerar, etc. Me considero “acessível” pelo fato de não colocar dificuldade. Se é pra já, faço agora. Se é pra depois, adianto o negócio.

Porém, sentado numa mesa de bar, percebi que não sou tão fácil assim! Na verdade, fiquei foi assustado quando me deparei com pessoas mais de-boa-com-a-vida do que eu. Talvez eles sejam seres mais evoluídos e bla bla bla.

Deixa eu resumir…

Estava eu, nesse fim de semana, no boteco com uma amiga. Papo vai, papo vem até a gente ficar de olho numa turminha de gente descolada, na mesa ao lado. Claro que não estávamos paquerando, pois fomos apenas curtir a noite num lugar legalzinho.

Após algum tempo, o povo descolado foi embora, ficando apenas um casal. Eu conhecia o menino, por termos amigos em comum e saber que ele é gay. Daí a dupla começou a se pegar, dando amassos em público. Jurava que ia rolar sexo no meio de todo mundo. Graças a Deus eles se aquietaram, porque um homem apareceu chamando eles pra se juntar à outra mesa.

Lá vai o detalhe mais importante: o casal foi pra mesa de gente que não conhecia, e depois entraram no carro de desconhecidos.  Na melhor das hipóteses, iriam pra alguma festinha particular; na pior, provavelmente participariam de orgia.

Vendo as cenas “narradas” anteriormente, percebi que de fácil eu não tenho nada! Jamais entraria em carro de desconhecidos, pois já penso em sequestro, assalto, estupro e por aí vai. Fiquei abismado, principalmente, por saber que esse tipo de atitude é “normal” em cidade grande. O povo realmente se junta com outras turmas e foda-se o perigo.

Não, não, não! Mamys me deu boa educação e discernimento justamente pra eu não me entregar aos perigos da vida facilmente. Ir pra mesa de estranhos, ok. Sair no carro de desconhecidos? Já fiz isso uma vez e, sério, não recomendo. Quando o efeito da cachaça passa, você começa a ver o grau de periculosidade.
Aliás, você deve estar se perguntando como eu soube que o casal saiu com desconhecidos. Simples: em grupo de WhatsApp, o carinha falou das aventuras que passou na noite anterior. Mancada total.
8 Comentários

8 Comentários em "Sou fácil, mas nem tanto"

  1. Váh diz:

    Gente que loucura!!
    Eu me acho uma pessoa difícil haha, desconfio de tudo e de todos. Jamais na vida entraria em carro de desconhecido, sério sou muito “cabreira” pra essas coisas. Mas isso é consequência do mundo em que vivemos, não que a gente queria ser assim, as pessoas são foda, não dá pra sair confiando em todo mundo 🙁

    https://heyimwiththeband.blogspot.com.br/

  2. Eu acho que não teria essa coragem de sair com desconhecidos, de verdade. Sou bem insegura/medrosa enquanto a isso, fico pensando na pior das hipóteses kkkkkkk, acho que isso é algo bom, não é mesmo? ♥
    Beijoooos!

    http://www..ricknegreiros.com.br

  3. Oieee!
    Chocada que você percebeu isso tudo apenas observando de longe, eu pensaria na hora que o casal conhecia o pessoal da outra mesa, hahaha! Mesmo você sabendo pelo grupo de WhatsApp, sacou tudo láque viu, haha! Eu já me acho uma pessoa difícil difissilima, imagina fazer isso? Só se eu tivesse em outro mundo não só com cachaça mas com drogas alucinantes também Entrar em carro de desconhecido também é uma coisa que eu não faço, só se eu estiver com alguém que conhecesse esse “desconhecido”, sabe? Hahaha! Mas mesmo assim ainda entro no carro com um pézinho atrás e fico bem na porta, pra caso aconteça algo, me taco pra fora, hahaha!
    Beijos!

  4. Já entrei em carro de desconhecido e se estou aqui hoje escrevendo esta mensagem é porque meu santo é forte e Deus me protegeu, ser jovem é foda a gente faz cada m*. Mas graças a Deus eles não se meteram em nada mais perigoso né? Hj estou sussa *.* estou da paz hahaha.
    Charme-se

    • melhor coisa é viver na tranquilidade, sem correr esses perigosos. de vez em quando a sorte consegue falhar e Deus não é obrigado e ficar livrando a gente do perigoso quando não fazemos nada pra ajudar, néam? 😀